Terapia alvo: uma nova esperança para alguns tipos de câncer

156 0

Não perca também a estreia da coluna Desmistificando o Câncer, neste site CliqueABC, sob a responsabilidade da Dra. Irina Bobrovnitchaia, Bióloga, PhD em Ciências (Oncologia), com Mestrado em Ciências (Oncologia) pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e Doutorado em Ciências (Oncologia) pelo AC Camargo Center

Da Redação – Imagine um motorzinho funcionando de forma descontrolada dentro de uma célula a ponto de promover sua multiplicação desordenada, transformando-a em câncer. Agora, imagine um medicamento que consegue bloquear o funcionamento desse motorzinho e matar a célula cancerígena, reduzindo o tumor. Esse é, de uma forma simples, o conceito da Terapia Alvo, que vem registrando altos índices de eficácia no combate a vários tipos de câncer, principalmente os de pulmão, mama e melanoma.

Esse é um dos temas do evento “Tenho Câncer, e agora?”, que será realizado no próximo dia 3 de agosto, em São Paulo. O evento tem inscrições gratuitas e é aberto à população em geral. Para se inscrever basta acessar o site www.tenhocancereagora.com.br. Um dos palestrantes será o oncologista Dr. William Willian Junior. Ele é especialista em tumores de tórax, cabeça e pescoço e dirige o departamento de Hematologia e Oncologia do Hospital BP, antiga Beneficência Portuguesa de São Paulo.

O palestrante vai falar exatamente sobre a “terapia alvo, pequenas moléculas, grandes impactos”. O Dr. William, que esteve no maior congresso de oncologia do mundo, realizado em junho deste ano, em Chicago, traz as informações mais recentes sobre o assunto. E adianta que vai apresentar números impressionantes sobre a eficácia da terapia alvo. No caso de um tipo específico de câncer avançado de pulmão, com mutações nos genes EGFR e ALK, por exemplo, antes da terapia alvo, os pacientes viviam entre 10 e 12 meses. Agora vivem entre quatro e cinco anos, segundo os mais recentes estudos apresentados em Chicago.

Para ficar mais fácil de uma pessoa que não é da área médica entender, o Dr. William explica que os medicamentos utilizados na terapia alvo terminam sempre em “Nibe”. A primeira terapia alvo foi descoberta e aprovada há cerca de 20 anos, inicialmente para Leucemia Mielóide Crônica. Esse tratamento tem se mostrado mais eficaz do que a quimioterapia convencional e com menos efeitos colaterais.

Essa estratégia de usar  novas categorias de medicamentos para bloquear a função do tal motorzinho dentro da célula cancerígena, matando-a e impedindo sua proliferação,  tem apresentado resultados animadores em pacientes em estado avançado da doença. “Se o esquema terá o mesmo resultado positivo em pacientes com estados iniciais, ainda não se sabe”, alerta o Dr. William.

O processo de aprendizagem sobre o comportamento das células cancerígenas é contínuo. O palestrante do “Tenho Câncer, e agora?” comenta ainda estudos que mostraram que, dependendo da doença, as células doentes se tornam resistentes à terapia alvo, o que complica ainda mais a busca pela cura ou o esforço para transformar uma doença incurável em doença crônica, portanto, tratável.

Sobre o evento

De forma inédita, o “Tenho câncer, e agora?” reúne três importantes Instituições: O Instituto Espaço de Vida, Instituto Lado a Lado pela Vida e a International Myeloma Foundation Latin America. O evento visa, principalmente, levar informação para o público em geral, mas também é aberto a pacientes que enfrentam o diagnóstico recente ou já iniciaram tratamento.
 
“Esse é um tema que tem a ver com todos nós, independentemente de sermos pacientes, familiares ou amigos. A informação prepara o indivíduo para se cuidar melhor e se preparar para fazer escolhas com mais segurança”, explica Marlene Oliveira, Presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida.

“Nosso objetivo é mudar definitivamente a visão das pessoas sobre o tratamento do câncer nos dias de hoje”, explica Christine Battistini, Presidente do Instituto Espaço de Vida e da International Myeloma Foundation Latin America.
 
Serviço – Evento Tenho Câncer, e agora?, no dia 3 de agosto, das 8h às 13h30, das 8h às 13h30, no Hotel Pullman Vila Olímpia (Rua Olimpíadas, 205, na Vila Olímpia, São Paulo – SP). Inscrições gratuitas, vagas limitadas: 0800 – 773-3241 ou 11 -3721-5317

Total 2 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Terapia alvo: uma nova esperança para alguns tipos de câncer"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *