Quando o azedume do limão vira ‘aliado’ de político…

1332 0

albertogoldmanTrago para os leitores desta coluna Do Fundo do Baú mais uma saudosa passagem pelos lados de Santo André, especificamente do Calçadão da Oliveira Lima, no Centro, passarela disputada por políticos, candidatos, mendigos, desempregados, vendedores ambulantes e até pelas famosas bandinhas que são contratadas para atrair a atenção e a visita de fregueses de rua para os estabelecimentos comerciais.

A região sempre despertou a atenção de candidatos das mais variadas matizes políticos. Na coluna vou falar de uma campanha específica de Alberto Goldman, então candidato a deputado federal, que fez dobradinha com Antonio Goulart, candidato a deputado estadual (eleito), em Santo André. Na comitiva, estavam o jornalista Sérgio Zola, o irmão do candidato Antonio Goulart, Tarcisio Cale, o saudoso Pedrinho Castanha e muitos outros correligionários.

No Largo da Estátua (e aliás, perguntar não ofende: por onde ela andará???!!!), havia uma banda de música executando marchinhas e dobrados, na inauguração de um açougue popular ao lado da extinta Lojas Ducal, na esquina com a Senador Fláquer. Todos se olharam, em lamentação ao burburinho musical provocado pela bandinha.

Apostei com Alberto Goldman que eu faria a bandinha parar de tocar, sem fazer nenhum sinal, sem falar nada e sem pagar nada para os músicos. Goldman, não entendeu, mas topou. Estávamos apostando o pagamento do almoço.

Fui até uma tradicional pastelaria, bem próxima ao local do evento, e peguei meio limão. Parei do outro lado da calçada, em frente ao açougue, e fiquei saboreando o azedo e suculento fruto. Batata. Os músicos que tocavam os instrumentos de sopro ficaram olhando na minha direção, e em alguns segundos ficaram com a boca cheia d’água. Não conseguiram mais tocar.

A aposta foi paga pelo deputado, no restaurante da Sociedade Italo. Goldman ficou tão surpreso com a novidade que me pagou um lauto almoço, acompanhado de uma deliciosa batida de limão.

Fica a dica. E quem tiver alguma dúvida do que foi narrado nesta coluna, que faça o teste. É tiro e queda!

Grande abraço, e boa semana para todos!

dofundodobau2* Carlos Coquinho Bazani é natural de Santo André. Atuou como assessor parlamentar e político. É membro do Conselho de Cultura de Santo André e colaborador dos veículos Jornal Informação Resumo Jovem, da Gazeta do Grande ABC, Orion FM e Cocknews, além de coordenador do Bloco O Beco do Conforto. Contato com o colunista: coquinhobazani@hotmail.com

Total 5 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Quando o azedume do limão vira ‘aliado’ de político…"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *