Quando o adversário visa ao bolso…

615 0

* Márcio Trevisan – O português Cristiano Ronaldo, os franceses Valbuena, Ribery e Bezema, os ingleses Rooney e Giggs, o norte-americano Mike Tyson, o mexicano Giovani dos Santos e os brasileiros Vágner Love e Ronaldo Fenômeno. Estes são apenas alguns dos inúmeros exemplos de personalidades do esporte que se envolveram – ou foram envolvidas – em casos de escândalos sexuais.

Independentemente de terem ou não de fato cometido algum ato reprovável ou mesmo um crime o fato é que todos eles, sem exceção, sofreram algum tipo de chantagem e, em quase todos os casos, também de punição nas esferas esportiva e/ou jurídica.

Neste fim de semana, a relação acima passa a contar com mais um nome: Neymar. Acusado de estupro por uma mulher que aceitou ir a Paris/FRA para se encontrar com o craque, que teve parte ou talvez até mesmo a totalidade de suas despesas de viagem pagas pelo jogador e que com ele trocou várias mensagens de cunho erótico, ele agora terá de se explicar à Polícia brasileira – que, claro, não perderia a chance de estar sob os holofotes de toda a Imprensa do planeta.

Mas podem ter certeza de que, mesmo diante de tantas e irrefutáveis provas de que o relacionamento foi consensual, não faltarão mãos para atirarem pedras no rapaz. Sei bem que em tempos de “empoderamento” feminino, é até arriscado defender Neymar neste caso. Mas como eu nunca dei a menor bola para o tal do “politicamente correto”, não estou nem aí se alguma feminista quiser me tachar de machista.

Neymar já foi culpado, tanto dentro quanto fora de campo, “n” vezes. E também já foi vítima de inúmeras deslealdades por parte de adversários dentro de campo. Mas, desta vez, acabou sendo atingido fora de campo, e por alguém tão sem caráter que nem esconde visar apenas à grana que ainda vai tentar tirar dele.

Curtinhas

Retrovisor pra quê? – O Palmeiras segue tranquilo na liderança do Brasileirão. Com a vitória neste domingo sobre a Chapecoense/SC fora de casa, o Verdão chegou aos 16 pontos e manteve os quatro de vantagem sobre o vice-líder, o Atlético/MG. Isso significa dizer que, mesmo em caso de derrota na próxima rodada, ainda assim o Verdão seguirá na ponta. Vale lembrar que o STJD ainda julgará se a vitória sobre o Botafogo/RJ no fim de semana passado valerá ou não, mas ainda que decida pela realização de uma nova partida o atual campeão nacional manterá um ponto de vantagem sobre o Galo.

Ir ao estádio pra quê? – Domingo chuvoso, temperatura baixa, jogo com transmissão ao vivo pela TV aberta e um time que vai mal das pernas. Haveria mais motivos para que a torcida do São Paulo não desse as caras na partida contra o Cruzeiro/MG? Daí que menos de 8 mil torcedores foram ao Pacaembu para ver o empate por 1 a 1 e geraram uma arrecadação bruta de menos de R$ 300 mil.

Jogar pra quê? – O Guarani segue sendo a maior decepção dentre os clubes paulistas nos torneios nacionais. Cumpridas seis rodadas da Série B, o time campineiro ganhou apenas um jogo, somou cinco pontos e ocupa a terrível 17ª colocação geral – ou seja: abre a temida ZR4. Neste fim de semana, o vexame foi em pleno Brinco de Ouro: derrota por 2 a 1 para o Brasil de Pelotas/RS.

Discutir pra quê? – Três das quatro equipes paulistas que disputam a Série D do Brasileirão já garantiram a classificação à próxima etapa do torneio. Seja como campeões de seus grupos ou então como um dos 15 melhores segundos classificados, Novorizontino, Ituano e Ferroviária seguirão em busca de uma vaga na Terceirona do ano que vem. Apenas o São Caetano decepcionou e conseguiu ser eliminado em grupo que conta com Caxias/RS, Cianorte/PR e Tubarão/SC. Mesmo assim, ninguém discute a soberania paulista nesta divisão do futebol nacional.

Total 4 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Quando o adversário visa ao bolso…"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *