Projeto brasileiro que emprega deficientes intelectuais é reconhecido pela ONU

330 0


Da Redação – No ano em que o Viveiro de Mudas do Grupo Ecorodovias completa 10 anos de atividades, uma grande conquista marca a trajetória do programa, cujo o objetivo vai muito além do cultivo de mudas para compensação ambiental. Ele será reconhecido, mundialmente, durante a segunda edição do prêmio “Boas práticas de empregabilidade para trabalhadores com deficiência”, promovido pela Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas (ONU). O evento foi realizado durante a celebração do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, no dia 3 de dezembro, em Nova York.

Criado em 2008 para facilitar a compensação ambiental de áreas afetadas por obras realizadas no Sistema Anchieta-Imigrantes, o projeto sempre teve como um de seus principais pilares a inclusão de pessoas com deficiência intelectual, público com maior dificuldade de inserção no mercado de trabalho.

Para ajudá-los a superar os desafios, a empresa adotou a metodologia do emprego apoiado, ou seja, contratou pessoas sem qualquer tipo de experiência em produção de mudas e ofereceu capacitação para a realização das atividades. A empresa contou ainda com a parceria da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) para indicação dos profissionais.

O trabalho, na sede da Ecovias, proporcionou grandes mudanças na vida dos profissionais. Um exemplo é o casamento entre dois dos auxiliares de viveiristas mais antigos do projeto programa, Alexandre e Cristina de Carvalho, que estão casados há seis anos. Além de uma autonomia que nunca tinham vivenciado, eles conquistaram uma série de sonhos comuns à maioria das famílias, como a aquisição da casa própria. Outro exemplo é o da auxiliar de viveirista Katia Cocco, que conseguiu o seu primeiro emprego aos 50 anos de idade.

De acordo com o assessor de Sustentabilidade da EcoRodovias, Artaet Martins, todos ganharam com as contrações. “Para o Grupo Ecorodovias, reforçamos a importância do respeito à diversidade e do trabalho em equipe, já os colaboradores do viveiro puderam provar que não há limites para a realização profissional”.

A premiação

O prêmio global “Boas Práticas de Empregabilidade para Trabalhadores com Deficiência” é realizado pela Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas (ONU), em parceria com a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD) e com o Centro de Tecnologia e Inovação (CTI) do Estado de São Paulo. São selecionadas empresas que disseminam boas práticas no mercado de trabalho.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Projeto brasileiro que emprega deficientes intelectuais é reconhecido pela ONU"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *