Home Fóruns Palavra de Internauta ABIA lamenta uso do Ministério da Saúde como “moeda” de troca

ABIA lamenta uso do Ministério da Saúde como “moeda” de troca

Palavra de Internauta

Mestre

A Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS (ABIA) recebe com preocupação e cautela a demissão do ministro da saúde Arthur Chioro e o uso deste ministério como moeda de troca no atual jogo político. É alarmante constatarmos que os últimos escambos políticos possam ser concretizados por uma agenda pública da saúde distante dos interesses coletivos.

Reafirmamos a importância do resgate de um SUS público, gratuito e livre dos interesses privados e de privatização. Repudiamos os retrocessos já ocorridos em 2015 no caminho da privatização e do desmantelamento do SUS, tais como a Emenda Constitucional 86 (que reduziu recursos já insuficientes para a saúde), lei 13.097 (lei que permite participação do capital estrangeiro na assistência à saúde, permitindo a concepção de saúde como uma mercadoria, e não mais um direito).

Lutamos para a continuidade e ampliação das conquistas e legitimação da saúde coletiva no país, conforme a constituição Federal, lei 8080/90 e lei 8142/90 tal qual foram concebidas com ampla participação do movimento sanitário brasileiro.

Se hoje a sociedade brasileira tem acesso aos serviços de saúde, é resultado do compromisso assumido pelo governo e sociedade civil aos princípios do SUS.

Se no passado recente o Brasil foi referência mundial no enfrentamento à AIDS, é resultado do compromisso assumido pelo governo e sociedade civil aos princípios do SUS.

Se hoje o país oferece acesso universal aos antirretrovirais, é resultado do compromisso assumido pelo governo e sociedade civil aos princípios do SUS.

Por fim, ressaltamos que o SUS deve retomar seus princípios doutrinários (universalização, equidade e integralidade) e seus princípios organizativos (regionalização e hierarquização, descentralização e comando único, e participação popular) para eleger como prioridade o interesse público e as demandas de todos os usuários de saúde.

Para nós, da ABIA, diante desta instabilidade econômica e política, “acreditar no seu povo, e na sua gente”, é o principal caminho para se retomar o reequilíbrio, garantir o acesso aos direitos e manter o país em sintonia com a democracia.

Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.