New York Times destaca Carlinhos Brown como a essência do Brasil

639 0

290486_627105_divulgaCAo__3_

Não somos amados pelo que ensinamos com a boca, mas sim pelo que realizamos com o coração.  Modesto Lacerda.

 

* Hildebrando Pafundi – O músico brasileiro Carlinhos Brown é mesmo uma sumidade. Tanto que foi listado em reportagem do jornal New York Times, dos Estados Unidos, sobre a música brasileira, reserva generoso espaço e confere ao músico baiano a definição de “a essência brasileira. Brown se apresenta hoje (5) à noite, no Museu Olímpico, na Suíça, e o seu show deve ser transmitido para todo o mundo.

Com os olhos voltados para o Brasil no momento de uma das principais competições mundiais, o jornal New York Times fez uma reportagem especial que apresenta aos leitores o essencial da música em nosso país. E não poderia deixar de citar o baiano Carlinhos Brown, ou melhor: “uma poderosa força na música brasileira “, nas palavras do jornal. A publicação lista como exemplo a faixa “Magalenha”, que Brown gravou em 2012 e é “imponente e extravagante, como sua presença no carnaval”. “Desde a década de 80, Mr. Brown é uma poderosa força na música brasileira”, ressalta o jornal.

Mr. Brown também representará o Brasil em outros países não “apenas” sendo citado por um dos maiores jornais do mundo. Enquanto o estádio do Maracanã celebrará a abertura dos jogos, nesta sexta-feira, Carlinhos Brown estará na Suíça, na cidade de Lausanne, numa festa organizada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) dentro do Olympic Museum. A celebração, claro, comemora a abertura das Olimpíadas com muita brasilidade, como aulas de capoeira e música nacional, nesse que é um dos lugares que mais respira o espírito olímpico no mundo.

Leia o artigo do New York Times: “The essentials of Brazilian music for Olympic games”

  • Obras de Picasso no Instituto Tomie Ohtake – Foi inaugurada com obras de Pablo Picasso, sendo muitas de seu acervo particular e inéditas no Brasil, que atualmente pertencem ao Museu Nacional Picasso, em Paris, grande exposição no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo e pode ser visitada até de 14 de Agosto. Depois do Instituto, a exposição segue para o Paço Imperial, no Rio de Janeiro, que será inaugurada em Setembro. O artista plástico espanhol Pablo Picasso, que nasceu em 1881 e faleceu em 1973, mesmo sendo mais conhecido como cubista, tinha seu próprio estilo com diferentes técnicas e fez os primeiros desenhos quando estava com apenas 14 anos. Para essa exposição, com curadoria de Emilia Philippot, foram selecionadas 153 peças com a trajetória cronológica e temática do artista e suas principais fases, sendo 116 de sua autoria: 20 esculturas, 20 gravuras, 34 pinturas e 42 desenhos. Há também 22 fotogramas de André Villers, produzidos em parceria com Pablo Picasso. As outras são 12 fotografias feitas por Dora Maar, e três pelo fotógrafo Pierre Manciet, além de filmes sobre as obras de Picasso, seu processo de trabalho e criação. A exposição, denominada “Picasso: Mão Erudita, Olho Selvagem” foi dividida em 10 seções: Formação e influência, Picasso o exorcista (processo e geometrização de formas), o cubista, o clássico (a maternidade, o teatro e a dança), o surrealista, o processo de criação de Guernica (estudo da obra, fotos e o foco), o resistente, o múltiplo (da cerâmica ao fotograma), ele trabalhando e sua última fase, que mostra o erotismo em todos os seus estados. Visitas até dia 14 de Agosto de 2016, de terça-feira a domingo das 11h às 20 horas. As entradas custam R$ 12,00, meia, R$ 6,00, mas nas terças-feiras, as visitas são grátis e crianças até 10 anos não pagam em nenhum dos dias. Os ingressos estão à venda pelo site www.institutotomieohtake.org.br ou na bilheteria do Instituto de terça-feira a domingo das 10h às 19 horas. Endereço: Avenida Faria Lima, 201, com entrada pela Rua Coropés, 88 – São Paulo – Capital, SP.
  • Bienal Internacional do Livro de São Paulo – Já tiveram inicio os preparativos para a 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que será realizada entre os dias 26 de Agosto e 4 de Setembro, no Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi, na Avenida Olavo Fontoura, 1209, na Capital. O evento reunirá escritores brasileiros e de outras nacionalidades, editoras nacionais e internacionais, com lançamentos de livros, tardes de autógrafos, palestras e debates. Os ingressos, que custam entre R$ 20,00 a R$ 25,00 já estão à venda pelo site www.bienaldolivrosp.com.br que na compra de três ingressos ou mais terá descontos. Já participei de algumas Bienais do Livro de São Paulo, a partir de 2004, geralmente no espaço para associados da União Brasileira de Escritores (UBE), quando aproveitava para fazer lançamentos de livros de minha autoria, fazer trocas, conversar e entrevistar alguns escritores, como o cronista e romancista Ignácio de Loyola Brandão, e o também autor de novelas para televisão e romancista, Walcir Carrasco, entre outros. A deste ano talvez não participe, porque não tenho nenhum livro recente para ser lançado, mas talvez faça uma ou duas visitas para adquirir alguns livros, o que também recomendo aos amigos, amigas e leitores. Até a próxima!
pafundi * Hildebrando Pafundi é escritor, jornalista, contista e cronista. Membro da Academia de Letras da Grande São Paulo, da União Brasileira de Escritores (UBE-SP) e outras entidades. Tem quatro livros publicados. Contatos com o autor e colunista pelo e-mail hpafundi@ig.com.br
Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "New York Times destaca Carlinhos Brown como a essência do Brasil"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *