Morando presta contas de 1 ano e destaca recuperação financeira

4896 0

      Fotos: Ricardo Cassim (PMSBC)

Da Redação – O prefeito Orlando Morando, de São Bernardo, destaca que o grande mérito do seu primeiro ano à frente da Prefeitura foi justamente o plano de recuperação financeira, implementado em sua gestão. Segundo ele, o início do governo foi marcado por graves problemas econômicos, herdados da gestão do PT de Luiz Marinho, como o rombo de R$ 200 milhões nos cofres públicos.

“Conseguir colocar as finanças em dia em São Bernardo foi um grande desafio”. Esta foi uma das frases proferidas por Morando, para sintetizar a marca do novo trabalho realizado no município, que está prestes a completar um ano. Depois superar grandes desafios, a expectativa é por investimentos em 2018.

Depois de uma vitória emblemática no processo eleitoral de outubro de 2016, Morando iniciou, antes mesmo de tomar posse como prefeito, a traçar um forte planejamento para equilibrar as contas do município, que mostravam graves problemas, como alta inadimplência com fornecedores, obras inacabadas e paralisadas, além de ineficiência nos serviços ofertados à população.

Assim, nos primeiros dias de gestão foi instituído um controle austero de economia, destacados por 10 itens, cujo objetivo era proporcionar fôlego aos R$ 200 milhões de restos a pagar, que foram deixados pela administração de Luiz Marinho (PT). Entres as medidas adotadas, destacaram-se os cortes de celulares corporativos, carros oficiais, além de congelamento de 35% nos cargos comissionados.

O plano deu certo. Em 100 dias de gestão, o governo conseguiu apresentar uma economia de R$ 102 milhões nos cofres públicos, uma economia da mais de R$ 1 milhão por dia e para o ano que vem a Administração prepara um planejamento de investimentos avançando ainda mais os serviços públicos. “Hoje não devemos para nenhum fornecedor. O mais importante em todo este processo de economia é que não deixamos de apresentar programas e medidas por todos os setores de São Bernardo. Mesmo diante da dificuldade, o trabalho foi concentrado para recuperar o potencial da cidade”, pontuou o prefeito são-bernardense.

A gestão imprimiu um ritmo acelerado de novos programas nas mais diversas áreas. Na Saúde, os principais foram o “Saúde Prioridade”, uma parceria com a rede privada, que eliminou a espera de 70 mil exames e consultas no município, em 120 dias, e o “Saúde Prioridade Cirurgia”, em andamento para acabar com a fila de mais de 3 mil pessoas que aguardam procedimentos. Na Educação, foi instituído o “Educar Mais”, inserção, de maneira inédita na cidade, de tempo integral nas escolas. No primeiro ano, o programa atingiu mais de 2.200 crianças.

Outros setores também se destacaram como a Segurança, com o “Noite Tranquila”, ação contra os chamados “Pancadões” e que abordou mais de 8.000 pessoas e efetuou inúmeras ocorrências. A gestão ainda conseguiu efetuar conquistas expressivas como o empréstimo para retomar as obras do Paço, trazer o primeiro Restaurante Bom Prato, instituir leis importantes, como a contra o assédio sexual e de incentivo fiscais. Impulsionar a economia como a Nota 1000 e uma política de fomento a mais empregos. Além disso, destaca-se a zeladoria, forte ritmo das regularizações fundiárias pela cidade, retomada do Estúdio e Pavilhão Vera Cruz

Confira a seguir os principais trechos da entrevista com o prefeito Orlando Morando, de São Bernardo, sobre o primeiro ano de gestão.

Pergunta – Ao completar este primeiro ano de gestão, qual o fator mais importante para o senhor que precisa ser destacado?
Orlando Morando – A principal ação foi ajustar as finanças. Pegamos pela frente uma dívida extremamente alta, R$ 200 milhões. Conseguimos saldar e hoje não devemos a nenhum fornecedor. Com a renegociação de contratos com empresas prestadoras de serviços foram retraídos R$ 30 milhões. Diminuição do repasse ao Consórcio, mais R$ 7,5 milhões. Com cargos comissionados (R$ 27,6 milhões); descontos em contratos vigentes (R$ 17 milhões); devolução dos carros oficiais (R$ 5,1 milhões); redução das horas extras (R$ 6,2 milhões); diminuição de consumo de água (R$ 4,5 milhões); suspensão da verba de Carnaval (R$ 1,2 milhão); redução dos imóveis alugados (R$ 1 milhão); corte de celulares coorporativos (R$ 120 mil) e mudança para formato eletrônico do Diário Oficial do Município (R$ 900 mil). Estes foram nossos primeiros desafios e mais importantes que nos deram fôlego para novos desafios.

Pergunta – Este controle financeiro permanece pela gestão?
Orlando Morando – Os cortes maiores foram feitos em nosso início de trabalho. Passei a peneira grossa. O dinheiro público precisa ser muito respeitado e bem investido. O que estava acontecendo na cidade era um desperdício muito grande.

Pergunta – Em meio aos problemas da crise econômica, a gestão conseguiu efetuar programas, ações. Como o senhor descreve este planejamento?
Orlando Morando – Os programas que conseguimos instituir foram criteriosamente trabalhados e planejados, pois foram diretos aos anseios de São Bernardo. Assim, o trabalho vai se desenvolvendo para quem quer realmente fazer. Destaco aqui o Saúde Prioridade. Quando assumimos, tinha uma fila de 70 mil pessoas, apontada pela Justiça. Precisávamos achar um caminho. Buscamos a parceria com a iniciativa privada, detalhando a nossa meta. Quando se trabalha sério, você consegue apoio.

Pergunta – Dentro deste primeiro ano, o senhor apresentou outros novos programas, além do Saúde Prioridade. Como os descreve e prevê a funcionalidade?
Orlando Morando – Na Educação, foi ousado. Conseguimos , de maneira pioneira, implantar horário integral, aumentando a grade de cinco para nove horas, por meio do Educar Mais. Mais de 2.300 crianças contempladas neste primeiro momento. No primeiro dia de gestão, começamos com o “Nova São Bernardo”, ação de zeladoria que fez intervenções nos bairros. Na Habitação, o destaque ficou para a “A Casa é Minha”, que efetuou a regularização de mais 1000 moradias no município. Todas estas ações foram bem efetuadas e pensadas para a execução e mostram bons resultados.

Pergunta – E nos outros setores, o que o senhor destacaria?
Orlando Morando – No desenvolvimento econômico, conseguimos mais postos de trabalho, articulando a chegada de novas empresas. Em Cultura, efetivamos o Festival de Verão do Riacho Grande, de maneira inédita, e sem custos para a Prefeitura. No Esporte, boas conquistas. Trouxemos os super campeões (os irmãos Hypolito, Daniele e Diego, da Ginástica) e reformamos o campo do Jardim do Lago. Na Vigilância, lançamos o “São Bernardo Contra a Dengue”, ação pioneira na região este ano. Um serviço importante foi a rede de esgoto no Jardim Jussara. E outro plano que gostei muito e deu resultado foi a inauguração da sala de partos humanizados no HMU, que em 50 dias, realizou 100 partos. Lançamos novas leis, como a Lei de Incentivo Fiscal, a Nota 100, que premia pessoas, por meio da nota fiscal eletrônica. Recriamos o Fundo Social de Solidariedade, coordenado de maneira voluntária pela minha esposa Carla Morando. Durante os anos do PT, o fundo foi esquecido. Conseguimos números expressivos, como a arrecadação de 138 mil peças de roupas na campanha do agasalho.

Qual a sua expectativa para o próximo ano?
Orlando Morando – Seguir trabalhando para proporcionar os melhores serviços para a sociedade de São Bernardo. Respeitando o dinheiro público e recolocar a cidade em seu lugar de destaque.

Total 2 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Morando presta contas de 1 ano e destaca recuperação financeira"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *