Maia admite que intervenção no RJ pode atrapalhar votação da reforma da Previdência

594 0

Da Redação – O presidente da Câmara admite que a intervenção federal na segurança do Rio, que depende de aprovação do Congresso, pode criar mais dificuldades para a reforma da Previdência. Rodrigo Maia foi entrevistado na Rádio Bandeirantes por José Luiz Datena, no programa “90 Minutos”.

“Os tempos, que já eram curtos, agora ficaram mais complicados. No meio da Previdência você tem uma intervenção na segurança pública”, afirmou. Maia disse esperar a compreensão das polícias do Estado após a decisão do governo federal: “O governo federal vai ter condições de suprir a segurança com equipamentos, com apoio. Que a gente possa superar esse momento e caminhar para um novo momento”.

No programa “90 Minutos”, José Luiz Datena também entrevistou o ministro da Justiça. Torquato Jardim explicou que a intervenção foi decidida depois da violência durante o carnaval: “O Rio de Janeiro ficou meio que abandonado. O interventor passa a ser governador da segurança pública, ou seja, ele demite e nomeia quem ele quiser”. Sobre o Ministério da Segurança Pública, que está sendo criado, Torquato Jardim descartou o nome do ex-secretário de Segurança do Rio de Janeiro José Mariano Beltrami para o cargo.

Também entrevistado por José Luiz Datena na Rádio Bandeirantes, o governador de São Paulo e pré-candidato à presidência da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, disse ser favorável à criação do Ministério da Segurança Pública.

Ele classificou a intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro como extrema, mas necessária. No entanto, advertiu que o exemplo não pode ser tomado como regra: “Não deve tomar essa questão do Rio de Janeiro como regra porque não tem sentido. Cada estado tem seu dever, sua tarefa”.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Maia admite que intervenção no RJ pode atrapalhar votação da reforma da Previdência"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *