GT Igualdade Racial propõe ações para aplicar Estatuto da Igualdade Racial

707 0

Aquele que não pode perdoar destrói a ponte sobre a qual ele mesmo deve passar…  George Herbert.

igualdade* Hildebrando Pafundi – O Grupo de Trabalho (GT) Igualdade Racial do Consórcio Intermunicipal Grande ABC propôs ações para aplicação do Estatuto da Igualdade Racial nas sete cidades. O tema foi debatido, nesta quinta-feira (21), durante reunião ampliada na sede da entidade regional, com participação da sociedade civil organizada.

O coordenador do GT, Wellington da Silva Bento (Boxa), ressaltou que a mudança de comportamento da sociedade é essencial para a implementação do Estatuto. “É preciso a mobilização para consolidar as políticas já adotadas para a comunidade negra em áreas como educação, cultura e emprego”, afirmou.

Durante o encontro, o grupo propôs ações concretas para que a aplicação da Lei Federal nº 10.639/2003, que torna obrigatório o ensino da História e Cultura Afro-Brasileira nas instituições de ensino, incluindo o comprometimento dos municípios e do Estado, além da formação de profissionais da educação. A reunião definiu uma comissão para preparar um documento de políticas de promoção da igualdade racial, a ser entregue para as próximas gestões municipais e para os gestores que serão indicados para o GT Igualdade Racial.

A comissão irá sistematizar as propostas em seis itens já definidos, além de incluir um novo artigo sobre a saúde da população negra. O grupo defendeu ainda a inclusão nos calendários municipais das sete cidades do dia 25 de julho, atualmente lembrado como o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, como o Dia de Tereza de Benguela. A data faz referência à líder de um quilombo que existiu no Mato Grosso no século XVIII, nas proximidades da fronteira com Bolívia.

No local, a comunidade negra e indígena resistiu à escravidão por duas décadas, sobrevivendo até 1770. O Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra já foi instituído pela Lei Federal nº 12.987/2014. Ao final da reunião, ocorreu uma homenagem a Luiza Helena de Bairros, ex-ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), que morreu de câncer no último dia 12. Um dos nomes mais importantes do movimento negro no Brasil, a socióloga atuou em programas da Organização das Nações Unidas (ONU) contra o racismo.

  • Obras de Picasso no Instituto Tomie Ohtake – Foi inaugurada com obras de Pablo Picasso, sendo muitas de seu acervo particular e inéditas no Brasil, que atualmente pertencem ao Museu Nacional Picasso, em Paris, grande exposição no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo e pode ser visitada até de 14 de Agosto. Depois do Instituto, a exposição segue para o Paço Imperial, no Rio de Janeiro, que será inaugurada em Setembro. O artista plástico espanhol Pablo Picasso, que nasceu em 1881 e faleceu em 1973, mesmo sendo mais conhecido como cubista, tinha seu próprio estilo com diferentes técnicas e fez os primeiros desenhos quando estava com apenas 14 anos. Para essa exposição, com curadoria de Emilia Philippot, foram selecionadas 153 peças com a trajetória cronológica e temática do artista e suas principais fases, sendo 116 de sua autoria: 20 esculturas, 20 gravuras, 34 pinturas e 42 desenhos. Há também 22 fotogramas de André Villers, produzidos em parceria com Pablo Picasso. As outras são 12 fotografias feitas por Dora Maar, e três pelo fotógrafo Pierre Manciet, além de filmes sobre as obras de Picasso, seu processo de trabalho e criação. A exposição, denominada “Picasso: Mão Erudita, Olho Selvagem” foi dividida em 10 seções: Formação e influência, Picasso o exorcista (processo e geometrização de formas), o cubista, o clássico (a maternidade, o teatro e a dança), o surrealista, o processo de criação de Guernica (estudo da obra, fotos e o foco), o resistente, o múltiplo (da cerâmica ao fotograma), ele trabalhando e sua última fase, que mostra o erotismo em todos os seus estados. Visitas até dia 14 de Agosto de 2016, de terça-feira a domingo das 11h às 20 horas. As entradas custam R$ 12,00, meia, R$ 6,00, mas nas terças-feiras, as visitas são grátis e crianças até 10 anos não pagam em nenhum dos dias. Os ingressos estão à venda pelo site www.institutotomieohtake.org.br ou na bilheteria do Instituto de terça-feira a domingo das 10h às 19 horas. Endereço: Avenida Faria Lima, 201, com entrada pela Rua Coropés, 88 – São Paulo – Capital, SP.
  • Bienal Internacional do Livro de São Paulo – Já tiveram inicio os preparativos para a 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que será realizada entre os dias 26 de Agosto e 4 de Setembro, no Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi, na Avenida Olavo Fontoura, 1209, na Capital. O evento reunirá escritores brasileiros e de outras nacionalidades, editoras nacionais e internacionais, com lançamentos de livros, tardes de autógrafos, palestras e debates. Os ingressos, que custam entre R$ 20,00 a R$ 25,00 já estão à venda pelo site www.bienaldolivrosp.com.br que na compra de três ingressos ou mais terá descontos. Já participei de algumas Bienais do Livro de São Paulo, a partir de 2004, geralmente no espaço para associados da União Brasileira de Escritores (UBE), quando aproveitava para fazer lançamentos de livros de minha autoria, fazer trocas, conversar e entrevistar alguns escritores, como o cronista e romancista Ignácio de Loyola Brandão, e o também autor de novelas para televisão e romancista, Walcir Carrasco, entre outros. A deste ano talvez não participe, porque não tenho nenhum livro recente para ser lançado, mas talvez faça uma ou duas visitas para adquirir alguns livros, o que também recomendo aos amigos, amigas e leitores. Até a próxima!
pafundi * Hildebrando Pafundi é escritor, jornalista, contista e cronista. Membro da Academia de Letras da Grande São Paulo, da União Brasileira de Escritores (UBE-SP) e outras entidades. Tem quatro livros publicados. Contatos com o autor e colunista pelo e-mail hpafundi@ig.com.br
Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "GT Igualdade Racial propõe ações para aplicar Estatuto da Igualdade Racial"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *