Eu poderia, mas não posso

295 0

* Márcio Trevisan – Eu poderia ter como tema central da coluna de hoje a brilhante campanha do Corinthians neste Campeonato Brasileiro. Um time que soma 26 dos primeiros 30 pontos que disputa – ou seja: que tem um extraordinário aproveitamento de 86.6%, o maior de toda a história dos pontos corridos – pode até não ser imbatível, mas com certeza já deixou claro que será dificílimo vencê-lo. E, assim, mesmo faltando ainda 28 partidas, já pode ser apontado como o maior favorito ao título. Até porque vencer o Grêmio/RS em sua arena é algo que raríssimos conseguirão, e o Timão já conseguiu.

Eu poderia ter como tema central da coluna de hoje a ótima vitória do Palmeiras, que mesmo sem poder escalar 11 jogadores foi a Campinas/SP e, com méritos e também com um show de Guerra, bateu a Ponte Preta. Um time apontado por todos os especialistas, inclusive por mim, como um provável campeão, começou mal demais o Brasileirão mas, com três vitórias seguidas, já se encontra no G6, ou seja, na zona de classificação à próxima Copa Libertadores da América.

Eu poderia ter como tema central da coluna de hoje a até certo ponto surpreendente derrota do Santos no último sábado, para o Sport/PE, em plena Vila Belmiro. Antes garantia de invencibilidade para o Peixe, o histórico campo ultimamente tem visto vários tropeços da equipe, e não à toa a diretoria santista tem levado alguns mandos para o Pacaembu, onde o time sempre joga com casa cheia.

Eu poderia ter como tema central da coluna de hoje a má fase por que passa o São Paulo. Neste domingo, não fossem alguns milagres de Renan Ribeiro, o time certamente teria perdido mais uma, desta vez para o Fluminense/RJ. O empate no Morumbi deixou o Tricolor a apenas um ponto da temida ZR4, e para piorar os dois próximos jogos certamente lhe serão dificílimos: Flamengo/RJ e Santos, ambos fora de casa.

Eu poderia ter como tema central da coluna de hoje estes ou outros assuntos, mas não posso. Embora me restem apenas alguns parágrafos, me vejo obrigado a falar sobre a Portuguesa de Desportos. Sim, meus amigos, a simpática Lusa do Canindé, o segundo time de todos nós, a “Namoradinha do Brasil” viveu neste domingo mais uma das muitas recentes e vergonhosas páginas de sua história. Precisando apenas de um empate contra a Desportiva/ES para seguir viva na Série D do Brasileirão, a equipe perdeu por 1 a 0, terminou na lanterna de um grupo que contava, também, com Bangu/RJ e Villa Nova/MG e, por isso, foi eliminada não só desta competição, mas também da que acontecerá no ano que vem.

Isso mesmo: devido a esta péssima campanha, a Portuguesa de Desportos não disputará nenhuma competição em nível nacional em 2018. Tal fato não se dava, por razões esportivas, desde 1966, o que prova o quão fundo é o poço onde a Lusa foi atirada. Muito embora, em nota oficial, o presidente do clube tenha assumido totalmente a responsabilidade, a verdade é que o jornalista Alexandre de Barros é apenas mais um dentre os inúmeros culpados por esta situação. E leva uma vantagem sobre alguns de seus antecessores: jamais teve seu nome envolvido em escândalos financeiros que lesaram o clube.

Força, Lusa. Onde quer que você esteja estaremos todos, e sempre, torcendo por você.

CURTINHAS

Só um – Ainda falando da Série D: o futebol paulista foi um fiasco na edição deste ano. Dos seis representantes que iniciaram o torneio, apenas o São Bernardo conseguiu a classificação à etapa seguinte (enfrentará o Metropolitano/SC) e, desta forma, segue na briga por uma vaga na Série C do ano que vem. Se não a conseguir, pelo menos terá vaga garantida na Série D de 2018. Já Audax, Red Bull, XV de Piracicaba e Ituano morreram abraçados à Portuguesa.

Já na Série C… – Se decepcionou na Quarta Divisão, São Paulo vai muito bem, obrigado, na Terceirona do Brasileirão. Botafogo de Ribeirão Preto e São Bento de Sorocaba dividem a liderança do Grupo B com 12 pontos após sete rodadas. O outro paulista no torneio, o Bragantino, soma 9 pontos e está em 5º na classificação – mas fora do G4 apenas por ter uma vitória a menos do que o Volta Redonda/RJ.

Renascendo? – Depois de viver anos imerso em sucessivas crises, o Guarani parece começar a reencontrar o caminho. Cumpridas as 10 primeiras rodadas da Série B do Brasileirão, o Bugre é o líder ao lado do Juventude/RS, com 19 pontos, mas leva vantagem no primeiro critério de desempate: vitórias. Por falar nela, nenhum outro time venceu mais do que a equipe dirigida por Oswaldo Alvarez, o Vadão: até agora, foram seis. E o ataque, com 15 gols, também é o melhor do torneio até aqui.

Deu a lógica – Terminada a fase de classificação da Copa das Confederações, nenhuma surpresa: classificaram-se às semifinais Portugal e México, pelo Grupo A, e Alemanha e Chile, pelo Grupo B. Desta forma, portugueses e chilenos lutarão pela vaga na grande decisão contra o vencedor do jogo entre alemães e mexicanos. As partidas acontecerão nas próximas quarta e quinta-feiras, 28 e 29 de junho, e a finalíssima será no domingo, 2 de julho.

* Márcio Trevisan é jornalista esportivo há 28 anos. Começou no extinto jornal A Gazeta Esportiva, onde esteve por 12 anos. Passou, também, pelas assessorias de Imprensa da SE Palmeiras e do SAFESP, além de outros órgãos. Há 11 anos iniciou suas atividades como Apresentador, Mestre de Cerimônias e Celebrante, tendo mais de 360 eventos em seu currículo. Hoje, mantém o site www.senhorpalmeiras.com.br. Contato com o colunista pelo e-mail trevisan.marcio1968@uol.com.br

Total 3 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Eu poderia, mas não posso"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *