Estudantes aprendem sobre serpentes e aves no Parque Escola

506 0

Da Redação – No Brasil só existem serpentes. As Najas que habitam na Ásia e na África são realmente cobras. A confusão vem dos tempos da chegada dos portugueses ao Brasil. Assim como chamaram todos os habitantes dessa terra de “índios”, eles chamaram todas as serpentes de “cobras”.

Para conhecer as características destes animais e sua importância ecológica, os alunos da Emeief (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) José do Prado foram até o Parque Escola, um espaço voltado para educação ambiental em Santo André, para um encontro com o biólogo Luiz Santiago, especialista em serpentes.

“Algumas vivem no ambiente aquático, como a sucuri, e outras na terra. Há até as que vivem em árvores e se alimentam de aves”, explicou Santiago, acrescentando que existem quatro tipos de dentição. O tipo de dentição depende da sua alimentação. “As serpentes que não possuem veneno se   enrolam no corpo do animal até asfixiá-los.  A falta de oxigenação no cérebro da presa faz com que o animal morra e então a serpente se alimenta”, explicou. Apesar de tanto medo por causa do perigo de algumas espécies peçonhentas, as serpentes contribuem mais para salvar vidas do que matam. Isso por causa das propriedades farmacológicas descobertas no veneno delas.

Depois de aprender sobre as serpentes, os alunos partiram para um passeio de observação, com binóculo, de aves no bosque do Parque Escola.  O local faz parte da rota de imigração de muitas aves.  Foram fotografadas e catalogadas 79 espécies de aves, de 24 famílias, sendo que 70% das aves não residem no Parque Escola.  Só em Santo André já foram registradas 230 espécies de aves, de acordo com o Borelli.  “Santo André, por estar perto da Mata Atlântica, tem uma variedade fantástica de aves”, afirmou.   No Brasil há 1.850 espécies de aves.

A observação de aves é apenas uma das opções de passeio do Parque Escola. Embora o local tenha diversas áreas voltadas para o ensino de temas específicos da biologia, como as colméias, o horto medicinal, a sala de animais articulados e o pomar, as possibilidades são infinitas. Isso  porque o formato das visitas das escolas está sendo determinado de acordo com as questões enviadas pela turma, dentro do projeto “Educação Sustentável no Parque Escola”. Professores interessados podem entrar em contato pelo telefone 3356-9056

Parque Escola – O Parque Escola de Santo André tem boa parte dos seus 50 mil metros m² ocupados por plantas originárias da Mata Atlântica. Foi criado em 1997, para a educação ambiental e sustentabilidade, por isso o espaços tem os estudantes como seu maior público. No entanto, o Parque Escola mantém uma programação mensal aberta à população, com oficinas, cursos e palestras, sempre voltados para botânica, sustentabilidade e reciclagem. Além do bosque, que tem pista de caminhada aberta o dia todo, o espaço possui, por exemplo, cactário, viveiro de plantas carnívoras, composteiras, pomar, horta orgânica, estufa de mudas e muito mais. O endereço é Rua Anacleto Popote, 46, Valparaíso. Telefone: 3356-9060 ou 3356-9056

Serviço – Parque Escola de Santo André (Rua Anacleto Popote, 46, Valparaíso – Telefone: 3356-9060  ou 3356-9056 parqueescola@santoandre.sp.gov.br

Total 1 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Estudantes aprendem sobre serpentes e aves no Parque Escola"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *