Escola de São Caetano representará o Brasil em Conferência do Clima em Paris

795 0

Da Redação – A Educação de São Caetano do Sul, referência nacional de qualidade, vai alçar voos ainda maiores. A Escola Municipal de Ensino (EME) Prof.ª Alcina Dantas Feijão, localizada no Bairro Mauá, vai representar o Brasil na Conferência das Partes sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas 2015 (COP 21), a ser realizada de 30 de novembro a 11 de dezembro em Paris, na França. A conferência vai reunir os principais líderes mundiais para discutir formas de se combater o aquecimento global.

A EME Prof.ª Alcina Dantas Feijão integra, desde 2003, o Programa de Escolas Associadas Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e graças aos projetos de grande relevância que promove, especialmente em ações sociais e de conscientização ambiental, tornou-se a única escola pública brasileira convidada a expor suas experiências em Paris. Outros quatro colégios particulares do Brasil estarão representados na conferência.

Evento que integrará a COP 21, o seminário internacional Getting climate-ready: Showcasing the ASPnet schools’ response to climate change (De prontidão para o clima: as respostas das escolas associadas Unesco às mudanças climáticas) reunirá os 55 melhores projetos educacionais de 11 países de todos os continentes, selecionados dentre mais de 8 mil escolas em 180 países associados à Unesco. Os trabalhos serão apresentados nos dias 7 e 8 de dezembro.

Representando São Caetano e o Brasil, a EME Prof.ª Alcina Dantas Feijão vai apresentar a educadores e autoridades de todo o planeta uma inovadora campanha publicitária sobre mudanças climáticas. O trabalho foi desenvolvido por alunos e ex-alunos do curso de Publicidade da Educação Profissional Técnica da escola.

“É uma honra poder apresentar o trabalho realizado em uma escola pública brasileira no mais importante congresso da Unesco e, principalmente, ter nosso trabalho integrando um manual de referência oficial que será distribuído em todo o mundo”, afirmou o professor Luiz Cruz, coordenador do projeto e vice-diretor da EME Prof.ª Alcina Dantas Feijão, que vai representar a escola em Paris.

Campanha – Sobre o trabalho, Cruz conta que a proposta foi reinventar o modelo tradicional de campanha publicitária, ao criar peças e ações com a menor dimensão física possível, utilizando sempre o mínimo de recursos. “A ideia foi impactar pelo argumento e pela aplicação. Chega de fazer campanhas que pedem uma mudança radical e instantânea. Não queremos exigir que cada um mova uma montanha de lugar; é mais eficaz criar um processo de reflexão para que a pessoa queira verdadeiramente dar um primeiro passo”, destacou.

“Não é o tamanho ou a quantidade de recursos que determinam o impacto e a eficácia da comunicação. Por isso, focamos em poucos recursos, pouco papel, pouca energia e o mínimo de desperdício. Usar somente o que for realmente necessário”, explicou Luiz Cruz. “Produzir peças publicitárias minúsculas induz quem as vê a um novo tipo de comportamento. Relacionar-se com recados pequenos exige tocar, mudar de posição pra ver, analisar e principalmente se aproximar. Ter as pessoas próximas das peças faz com que elas assumam um caráter mais orgânico e humanizado. Condição essencial para um novo comportamento.”

As ideias foram além das práticas convencionais de simples anúncios ou cartazes. A campanha desenvolvida pela escola tem como slogan a hashtag #PenseSimples e contou com ações criativas e interativas, que despertaram o interesse dos mais de 1.800 alunos da EME Prof.ª Alcina Dantas Feijão para o tema. A primeira ação já causou um grande impacto: ao retornarem do intervalo para a sala de aula, os estudantes foram surpreendidos com pedras de gelo derretendo sobre as carteiras, com a seguinte inscrição em seus interiores: “Esta é a melhor explicação sobre aquecimento global que encontramos.”

As reações foram imediatas. “Primeiro fiquei paralisada e meio sem saber o que fazer. Depois fiquei muito reflexiva e tenho certeza que jamais vou esquecer que um dia encontrei uma pedra de gelo sobre a minha carteira”, disse a aluna Ariela Segatto.

Em outra ação, todos os sinais de entrada, saída e trocas de aula da escola foram substituídos por sons da natureza. Os alunos tiveram que encontrar a resposta para os sons inusitados em um pequeno círculo verde de cinco centímetros no canto das lousas, com a frase “Você e os animais fazem parte do mesmo mundo. Ainda que você não veja.”

Impacto – A campanha, que conta com mais de 50 ações diferentes, impactou não só alunos, mas também professores e a comunidade com peças específicas para cada público. No dia 15 de outubro, os mais de 120 professores da escola receberam um minúsculo cartão com um texto impossível de ser lido a olho nu. Para decifrarem a mensagem, eles tiveram que utilizar um “gota” de vidro que acompanhava o cartão e era capaz de ampliar o texto: “Você é a gotinha que faz os alunos enxergarem um novo mundo a cada dia. Feliz Dia dos Professores.”

“Foi muito divertido ter professores descobrindo como conseguir ler um minúsculo cartão e emocionante ver os sorrisos ao final. Depois de alguns meses envolvida com o projeto, já não consigo mais olhar nada como antes. Hoje penso no impacto de cada escolha e de cada ação que faço. Nunca achei que eu fosse mudar tanto”, contou Ana Alencar, aluna da escola e integrante da equipe realizadora do trabalho.

No dia 30 de novembro, uma semana antes da apresentação oficial da experiência de São Caetano na COP 21 em Paris, a campanha completa será apresentada no tradicional Festival de Publicidade da EME Prof.ª Alcina, no Teatro Municipal Paulo Machado de Carvalho.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Escola de São Caetano representará o Brasil em Conferência do Clima em Paris"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *