Começa a Feira de Artes e Antiguidades de ‘Parana’ em edição especial online

326 0

Música, teatro, artes, oficinas, saraus, contações de histórias

Da Redação – Neste momento, a Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba será virtual de 12 de março, sexta-feira, à 30 de abril, sexta-feira. Assim que possível voltará a ser presencial. O evento contou com o apoio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc que permitiu a sua ampliação e a contratação de muitos artistas de diversas áreas. Além das atividades de expositores da feira, acontecerão outras apresentações como musicais, teatro, circo, literatura, artes visuais, oficinas e contação de histórias. Muitos artistas puderam ser contemplados e ajudados nesse período de pandemia impulsionando a cultura e as artes. A produção executiva e a curadoria são de Anita Carvalho e Leonete Accetto e a proponente do projeto é a empresa Ba Rocco Produções.

Ao todo serão 130 eventos de 43 expositores da Feira, 14 artistas visuais, 7 oficinas de expositores, 8 oficinas de capoeira, ioga, danças africanas, ginástica, plantas comestíveis, tapeçarias, 37 apresentações musicais, 3 saraus; 5 grupos de circo, 6 grupos de teatro infantil e 6 contações de história. Mais de 220 artistas serão contemplados com o projeto. Os links de visualização são: site, https://www.fparanapiacaba.com/, Facebook, @feiraparanapiacaba, instagram, @fparanapiacaba e youtube, https://www.youtube.com/channel/UCkybq5v5kXvN5UcTxShNneg

Alguns destaques são o Sarau da Florestacom poemas que contam histórias indígenas, da mata atlântica e o sarau com histórias de Paranapiacaba, Paranapiacaba: afetos e memórias. Grupos como: Irmandade do Blues, Serial Funkers, Os Desconhecidos, O Bardo e o Banjo,Fanta Konatê e Trupe Djembedon, Cia. Corpo Mágico e Irmãos Becker. Os grupos infantis farão, entre outros espetáculos, releituras de grandes clássicos como Três Porquinhos, Pinóquio e o Flautista de Hamelin. Entre os músicos: Ellen Oléria, Kleber Albuquerque, Graça Cunha, Rodrigo Régis, Marquinho do Pandeiro e Adriano Grineberg. Nas artes visuais, destaque para Valdo Rechelo, Milton Toller, Edu Guimarães, Elton Hipólito e Croma.

Desde 2015 é realizada a Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba com expositores de toda região metropolitana de São Paulo e vários moradores da vila. Entre as artes, há o tradicional artesanato em tecidos, linhas e pedras e antiquários. A feira também tem parceria com grupos que buscam novas formas de interagir com mercado de trabalho de forma coletiva, como a Associação Fibras da Serra e o Coletivo FOOP.

Paranapiacaba é uma vila criada pelos ingleses entre 1865 e 1867 para dar moradia aos ferroviários da linha Santos-Jundiaí, uma das ligações ferroviárias pioneiras do Brasil. Pertencente a Santo André, a vila é cercada por belezas naturais com clima ameno.


Programação da Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba:

Todos os eventos são disponibilizados em vídeos. A maioria no dia 12 de março, outros em datas específicas como mencionados abaixo:

Música: Serão exibidas apresentações de 37 artistas ou grupos.

Literatura: Serão apresentados 3 saraus.

Cênicas:

Circo – 5 grupos.

Teatro – 6 grupos teatrais para crianças.

Contação de história – 6 contações de histórias.

Oficinas: 8 oficinas de capoeira, danças africanas, ginástica brincante, yoga, Pancs (plantas comestíveis) e tapeçaria.

Oficinas de expositores: 7 expositores ministrarão oficinas de crochê, cerâmica, marcadores de página, origami, bordado, peças de vidro com decoração em feltro entre outras.

Artes Visuais: 14 artistas visuais, muralistas, fotógrafos, artistas plásticos, mostrarão seus trabalhos em vídeos.

Tapeçaria de Anita Carvalho – Foto de Cleciane Tomé

Artesãos / Expositores da Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba: 43 expositores dos mais diversos produtos artesanais, antiguidades, gastronomia, café artesanal, cerâmica, etc.

Atrações:

Música:

Ellen Oléria

Ellen gosta de dizer que faz música brasileira, na sua maior diversidade, com um repertório que atinge grande diversidade de público. A artista mistura elementos de jazz, samba, pop, hip hop e as manifestações do regionalismo brasileiro como o congado, os afoxés e o carimbó. Atua desde o ano 2000 como cantora, compositora e instrumentista autodidata. No ano de 2012, ganha notória visibilidade ao ganhar o título do reality show The Voice Brasil exibido pela Tv Globo. Em 2015 se apresentou na Rússia, e faz sua primeira turnê no Japão. Ellen Oléria completa mais de 15 anos de carreira e lançou seu terceiro álbum solo, Afrofuturista. O show contará com músicas autorais deste álbum.

Ficha técnica:

Ellen Oléria –  voz/ violão

Léo Carvalho – bateria

Vinícius Sampaio – baixo

Duração: Show de 50’ 

Site: https://www.ellenoleria.com.br/

Kleber Albuquerque
Data: 17 de abril, sábado, às 20h

Indicado em 2018 ao Prêmio de Música Brasileira, o cantor e compositor Kleber Albuquerque tem canções de sua autoria interpretadas por artistas como Zeca Baleiro, Fábio Jr., Ceumar, Vanusa e Márcia Castro, entre outros. Com seis álbuns autorais gravados, atualmente lança pelo selo Sete Sóis o seu novo álbum intitulado Os Antidepressivos Vão Parar de Funcionar, que acaba de ser pré-indicado ao Prêmio Dynamite de Música 2020. O show promete revisitar canções de autorais de seus álbuns.

Ficha técnica:

Kleber Albuquerque – voz/ violão

Duração: Show de 50’    

Youtube: https://www.youtube.com/kleberalbuquerque

Foto de Vivi Correa

Fanta Konatê e Trupe Djembedon

Data: 24 de abril, sábado, às 20h

Um show de música e dança da África Oeste e Diáspora

Fanta Konatê apresenta com sua voz, a musicalidade das tradições africanas, suas danças expressam a alegria e a vitalidade de um povo que se reúne diariamente para celebrar a vida. Um show de música e dança da África Oeste e Diáspora. Instrumentos ancestrais e contemporâneos que preservam a identidade africana do ensemble de Djembês e Dununs, tambores da Etnia Malinkê (Guiné/Mali), e expandem do jazz do oeste africano às culturas populares do Brasil. Fanta Konatê se apresenta com o grupo Djembedon. O show conecta o público à África real dos saberes, belezas e resiliência através de temas, dinâmicas e andamentos variados das composições que expressam a alma dessa embaixadora cultural da República da Guiné: Fanta Konatê!!! Atual, ancestral e autoral, da Guiné e Brasil, com muito respeito e muita alegria, para o mundo todo!!!

Ficha tecnica:

Fanta Konatê (cantora, compositora, bailarina)

Luis Eduardo Ferreira Kinugawa (Djembês)

Pablo de Moraes Prearo (guitarra karinham) 

Manoel Batista Faria Neto (Sangban e Octapad)

Dirceu Marques Junior (Dunumbá)  

Fabio Luiz Serra (Kenkenis)  

Koria Konatê (Cantora, bailarina)

Bangaly Konatê (Djembê)

Duração: Show de 50’

Instagram: @ fanta_konate

Irmandade do Blues

Data: 27 de março, sábado, às 20h

Pela primeira vez nos 28 anos de história do Irmandade do Blues, que hoje é a banda de blues a mais antiga do estado de São Paulo em atividade, fará um show exclusivamente com músicas autorais. A banda que conta com 4 Cds e 1 Dvd em sua bagagem, se tornou uma referência nacional na segunda metade dos anos 90, com suas versões pesadas e requintadas para grandes clássicos do Blues. Com o tempo descobriu um caminho bastante produtivo com as composições autorais, haja vista a imensa capacidade da banda para fazer grandes arranjos, apenas começaram a colocar letras em ideias que utilizariam em outras músicas.

Ficha técnica:

Vasco Faé – Gaita, vocal e guitarra

Silvio Alemão – Baixo

Fernando Lóia – Bateria

Duração: Show de 50’

Serial Funkers

Data: 13 de março, sábado, às 20h

Serial Funkers nasceu com o intuito de levar para as noites paulistas um som que consideram uma mistura de soul music, samba, R&B, baseado no melhor do que chamam funk de raiz, e no balanço da música brasileira. A banda já dividiu o palco com grandes nomes da black music nacional, como Sandra de Sá, Tony Garrido, Ed Motta, Cláudio Zoli e Negra Li, Participou da segunda temporada do programa televisivo Super Star (rede Globo), e tocou na abertura do show da diva americana Gloria Gaynor, em 2007. Neste show, a banda apresentará um repertorio totalmente autoral.

Ficha técnica:

Régis Paulino – Voz

Luciano Ribeiro – Baixo

Luguta – Bateria/ vocais

Herbert Medeiros -Teclados

Duração: show de 45’

Instagram: @oficialserialfunkers

Marquinho do Pandeiro e Tuco Pellegrino 

Data: 20 de março, sábado, às 20h

Sempre há tempo para se reinventar e dar outro passo na vida. Prova disso é o veterano do samba carioca Marquinhos do Pandeiro. Agora, aos 74 anos, tira do bolso seu primeiro disco solo e autoral, batizado Claridade da Portela. O show é focado em Claridade da Portela, composição em homenagem a madrinha da Velha Guarda Clara Nunes. São canções autorais feitas individualmente e, ou, compostas em parceria com diversos amigos/compadres adquiridos ao longo da vida. No Cd e show, Marquinho do Pandeiro demonstra desenvoltura ao cantar os amores, mas também se sai muito bem ao interpretar os dissabores, conforme é possível conferir na belíssima “A grande conquista”, um samba emocionante!

Ficha técnica:

Marquinho do Pandeiro – Voz/ pandeiro

Tuco Pellegrino – Cavaquinho/ voz

Camarão Neto -Percussão

Rafael Oliveira -Violão

Duração: show de 50’

Instagram: @marquinhodopandeiro

Os Desconhecidos

Data: 3 de abril, sábado, às 20h

Os irmãos Schivittez formam a Banda de Punk Rock Infantil cada vez mais conhecida no Brazil e em outros países, com vasto repertório autoral em português, inglês e espanhol, apresentam um show com o repertório do último álbum “Viemos em Pás” lançado em 2020 além de outras composições.

Ficha técnica:

Felipe Schivittez – Guitarra e voz

Dennis Schivittez – Bateria e voz

Emilly Schivitez   – Baixo e voz

Duração: Show de 50’

Instagram: @osdesconhecidosrocksbc

Graça Cunha e Dino Barioni  
Data: 2 de abril, sexta-feira, às 20h

Graça Cunha, cantora paulistana com 27 anos de carreira, atuou em teatro musical, gravou mais de 3000 jingles e locuções publicitárias e trilhas para cinema e desenho animado. Fez parte da banda feminina do programa Altas horas apresentado por Serginho Groisman na Rede Globo por 10 anos. Tem 2 álbuns lançados,3 EPS e 2 indicações ao Grammy Latino. Seu repertório é bastante eclético, onde interpreta mpb, samba, jazz, blues, soul e pop. Foi uma das juradas do programa Canta comigo da Tv Record, apresentado por Gugu Liberato nas temporadas de 2018 e 2019. Foi escolhida pela Disney para dublar a voz de Sarabi, a mãe de Simba no filme Rei Leão que estreou nos cinemas em julho de 2019. Nesse evento Graça Cunha cantará 2 músicas de sua autoria, “Saudade e solidão” que foi gravada no seu primeiro álbum “De virada” e “Mulheres de gaya”, acompanhada pelo guitarrista e arranjador Dino Barioni. 

Ficha técnica:

Graça Cunha – voz

Dino Barioni – guitarra

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @gracacunhaoficial

Márcia Cherubin

Marcia Cherubin, cronista, cantora e compositora trarão canções de sua autoria que foram as mais premiadas em sua estrada festivaleira. Márcia ganhou mais de 100 prêmios em festivais de música pelo Brasil, dentre eles, 80 de primeiro e segundo lugares. As músicas serão “Rodas” e “Todo Possível”, um ato de amor e afeto na veia das questões sociais e do sentido humano, no melhor da MPB.

Ficha técnica:

Márcia Cherubin – voz

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Luciano Sallun

Luciano Sallun, formado em musicoterapia, pesquisa e cria diversas possibilidades dentro da música étnica e multicultural. Seu principal projeto musical é o grupo Pedra Branca que atua desde 2001, referência na fusão da world music e contemporânea, música indiana, árabe, turca e cigana, junto a cultura brasileira e vertentes ocidentais. Passou pela India, Marrocos e Turquia. Seus temas e melodias levam em uma viagem pela música oriental com muita brasilidade. 

Ficha técnica:

Luciano Sallun – sitar

Percussão –  Alan Gonçalvez

Duração: Até 5’ (1 música)

Adolar Marin

Data: 14 de março, domingo, às 19h

Adolar Marin apresentará a música “Compostelana” que faz parte do seu mais recente Álbum Outros Caminhos. A canção que abre o CD já tem história: foi premiada no FEMUCIC, uma das grandes mostras de música do Brasil, realizada em Maringá. E é a primeira parceria com Flávio Alves com quem Adolar firmou uma constante e frutífera parceria musical.

Ficha técnica:

Adolar Marin – voz, violão

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @adolarmarin

Marco Vilane
janga

Experiência e inovação marcam as inspirações musicais do cantor e compositor Marco Vilane. Já são 4 discos e em cada novo trabalho estão suas referências, sua história, sua autoria, seu lugar de expressão Sons diversos, daqui, de la, espalhados. O poeta-compositor-cantor, Marco Vilane apresntará uma música de seu mais recente álbum TUDO EM SEU LUGAR, com  pitadas de reencontro com a poesia nordestina clássica, regiões, povoados, sotaques, as brasilidades.

Ficha técnica:

Marco Vilane – voz, violão

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @marcovilane

Vasco Faé

Data: 4 de abril, domingo, às 19h

Vasco Faé adquiriu totalmente por acaso sua primeira gaita aos 16 anos em 1987, e de lá até hoje foi um longo caminho cheio de histórias pra contar. Hoje é reconhecido como um grande nome do cenário do Blues no Brasil, apresentará neste projeto as músicas Furacão e Worried Mind, ambas de sua autoria.

Ficha técnica:

Vasco Faé – Gaita, vocal e guitarra

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @manoblues1971

Fabio Kidesh

Data: 21 de março, domingo, às 19h

Apresentação de música clássica da Índia. Ragas, a música milenar da Índia ainda hoje toca as pessoas, traz uma paz. Fábio kidesh tocará o Raga Bhairavi, uma peça da música clássica de profunda interpretação. A música chama-se “Bhairavi”.

Ficha técnica:

Fabio Kidesh – voz/sitar

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @fabiokidesh

João Cristal e Dino Barioni

João Cristal, pianista, arranjador e compositor. O artista já se apresentou com grandes nomes da música brasileira, como Wilson Simonal, Agnaldo Rayol, Vânia Abreu, Elisete Cardoso, Luciana Mello, Paula Lima, Jair Oliveira, entre outros. No repertório composições próprias com assumida influência de seus ídolos como Tom Jobim, Luiz Gonzaga, Hermeto Paschoal, Pixinguinha, entre outros. As composições escolhidas para essa apresentação são “Baifrevo” e “Contraste”. Nesta apresentação João Cristal estará acompanhado pelo guitarrista e arranjador Dino Barioni.

Ficha técnica:

João Cristal – piano e voz

Dino Bairioni – guitarra

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Adriano Grineberg
Data: 28 de abril, quarta-feira, às 20h

Adriano Grineberg, com 25 anos de carreira, é um dos principais nomes do blues contemporâneo no Brasil com participações de destaque nos principais festivais do gênero. Showman, conduz as apresentações com imenso carisma e originalidade em suas composições e releituras de clássicos que trazem além do blues, as suas conexões com as raízes africanas, relações com a música brasileira e influência de países da Ásia como Índia e Paquistão. Seu álbum mais recente “Blues for Africa” rendeu ao pianista, cantor e compositor paulistano o Prêmio Profissionais da Música por dois anos seguidos (2016 e 2017). Em 2020 foi vencedor do HDB CONDECORA na categoria de melhor instrumentista de Blues do Brasil. Apresentará as músicas autorais, uma do álbum Blues for Africa que faz uma referência e homenagem ao povo Tuareg do deserto do Saara através de sua poesia, expressão e música que veio influenciar o Blues na América do Norte nos tempos da escravidão. Olodumare (Adriano Grineberg), outra faixa autoral do álbum Blues for Africa. Hino em homenagem aos principais orixás do candomblé africano.

Ficha técnica:

Adriano Grineberg – piano / voz

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @adrianogrineberg

Juliana Lima
Data: 11 de abril, domingo, às 19h

Juliana Lima é uma cantora, instrumentista e compositora de Santo André. Possui 23 anos de carreira, com 6 CDs e 1 DVD gravados! Compôs mais de 500 músicas e já realizou turnê já Argentina, na Europa, passando por países como Portugal, Espanha, Itália e Irlanda! Abriu shows de artistas como Ana Carolina, Roupa Nova e Rita Benedita! Dividiu o palco com artistas como Elba Ramalho, Nila Branco, entre outros! Apresentará a música autoral “Pode ser “O Dom””.

Ficha técnica:

Juliana Lima – voz/ violão /acordeon

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @oficialjulianalima

Duo Fryvan
Data: 18 de abril, domingo, às 19h

O Duo Fryvan traz uma novidade no cenário violonístico atual. Sua despretensão, serenidade e autoconfiança, são claramente visíveis em suas composições, onde o bom gosto e a “ecologia acústica” de suas paisagens sonoras, estão acima da técnica e virtuosismo recorrentes a este gênero. Nesta apresentação o Duo mostrará uma de suas músicas mais conhecidas “Paranapiacaba”, esta, além de ser a sua primeira composição, é também um convite perfeito para quem quer conhecer a charmosa Vila de Paranapiacaba através da música.

Ficha técnica:

Fredy Louis Pietz – vilão

Ivan Sakavicius Moisés – violão

Duração: Até 5’ (1 música)

Fabíola Mirella e Sérgio Penna

Em 2015 Fabíola Mirella e Sérgio Penna, com experiências musicias adquiridas ao longo de vários anos resolveram montar a dupla e lançaram em 2017 o álbum intitulado “Estrada de Terra”. Em 2018 a dupla entrou com a música “Meu Sertão” no álbum Viola Paulista pelo selo Sesc sob Coordenação do Professor e Violeiro Ivan Vilela. A dupla apresenta repertório com canções autorais ao som da viola caipira, valorizando a cultura e a tradição do homem do campo. A apresentação desse dueto em duas vozes acompanhadas por duas violas com arranjos elaborados passará  por variados ritmos, como: toada, cateretê, cururú, guarãnia, pagode de viola, recortado, etc. A música escolhida pelos artistas é “Meu Sertâo”.

Ficha técnica:

Fabiola Mirella – viola/ voz

Sérgio Penna  – viola/ voz

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @fabiolamirellaesergio

Gileno Foinquinos

Gileno Foinquinos, natural da cidade de Cametá no Estado do Pará. Trabalhos com vários artistas como Edgar Scandurra, Felipe Cordeiro, Manoel Cordeiro, Wilson Simoninha, Max de Castro, Maria Gadú, Renata Fausti, Leo Maia, Maria Rita. A guitarrada apresentada por Gileno Foinquinos traz uma sonoridade tropical muito influenciado por ritmo caribenhos como merengue, soca, zouk, e alguns ritmos do Norte do país como Carimbó, lundu, siriá, bangüê numa efervescente mistura musical que só a guitarrada proporciona. A música apresentada será “Balanço no casco”. Alteração música: Caeique Camuta

Ficha técnica:

Gileno Foinquinos – voz/ guitarra

Duração: Até 5’ (1 música)

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCeQsyl_8TDXDOvCX7dnoWMg/featured

Ba Kimbuta

Ba Kimbuta, andreense, hoje residente de Mauá. Ativista Militante da Causa Preta desde sempre, tem entre suas obras, a prima intitulada UPP – Universo Preto Paralelo, reconhecido em toda comunidade como importante obra de emancipação do povo preto no Brasil. Apresentará a música autoral “Quadro Torto”.

Ficha técnica:

Ba Kimbuta – MC

Duração: Até 5’ (1 música)

Youtube: https://www.youtube.com/user/Bakimbuta1

Zé Terra

Data: 25 de abril, domingo, às 19h

Neste vídeo a história é contada com uma viola em afinação Rio Abaixo (em sol maior). A letra fala de um encontro entre duas lendas distintas da música (um encontro fictício). Tião Carreiro, violeiro e rei do pagode caipira e de Robert Johnson o rei do blues. Um brasileiro e um americano que deixaram em suas músicas muitas histórias, se transformando em lendas. A letra tem o formato de cordel e é acompanhada da voz, viola e de um slide guitar. O encontro da música caipira brasileira e do blues por Zé Terra. Música: Tião Johnson (Zé Terra).

Ficha técnica:

Zé Terra – Viola na afinação Rio Abaixo (G) / Voz e slide guitar

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @ze_terra_oficial

Rosana Puccia e Davi Pasqua

A dupla apresenta duas músicas de sua autoria.

Xote Pra Agradar Você”

Ficha técnica:

Música: David Pasqua

Letra: Rosana Puccia

Vocais e artistas do clipe: Rosana Puccia e David Pasqua

Arranjo e produção musical: David Pasqua

Acordeon: Lucas Coimbra

Baixo acústico: Vinícius de Almeida

Zabumba: Vitor Coimbra

Bateria, triângulo e claves: Lello Araújo

Youtube: https://www.youtube.com/user/rosanapuccia

El Adiós Que No Te Di

Ficha técnica:

Música: David Pasqua

Letra: Sandra Lya (em memória)

Voz e atuação: Rosana Puccia

Arranjo, produção musical e piano: David Pasqua

Bandoneon: Martin Mirol

Baixo acústico: Marcelo Rocha

Bateria: Edson Ghilardi

André Calixto

O multi-instrumentista André Calixto, apresenta um trabalho autoral de música Regional Brasileira. Acompanhado da viola de 10 cordas, o músico do ABC paulista traz, uma abordagem do cantador que destila suas histórias através da poesia cantada, com a música “Catador de Conchas”. Com 25 anos atuando como instrumentista (sax e flauta), mostra neste trabalho de viola e voz, a canção autoral que sempre fez parte de seu universo musical.

Ficha técnica:

André Calixto –viola e voz

Duração: Até 5’ (1 música)

Elder Costa

Data: 26 de março, sexta, às 20h

Repleto de surpresas, o novo trabalho de Elder Costa traz participações especiais de Milton Nascimento e Zeca Baleiro, além de uma parceria com Paulinho Pedra Azul e a resenha assinada por Ivan Vilela. Em 2003, a canção “Outro Lugar”, de sua autoria, foi gravada por Milton Nascimento no álbum Pietá e fez parte da trilha sonora das novelas Cabocla e Espelho da Vida, da Rede Globo. Compôs e gravou o tema “Dona Benta” para a trilha sonora do Sítio do Pica-Pau Amarelo, em 2005. A canção interpretada será “Meio lá meio cá”, uma parceria de Elder Costa e Madhav Bechara. A canção foi gravada no recém Cd de Elder e teve a participação especial de Zeca Baleiro. Essa música foi composta pra integrar em um projeto lítero-musical sobre a arte e cultura da serra da Mantiqueira, que se chama “Mantiqueira Musa”.

Ficha técnica:

Elder Costa – violo / voz

Duração: Até 5’ (1 música)

Youtube: https://www.youtube.com/user/ElderCostaOficial

Lucas Coimbra

Ao som da sanfona, Lucas Coimbra interpreta uma de suas composições criada em período de isolamento, misturando a música tradicional brasileira com influências do jazz. “Liquidação” é a música autoral escolhida para esta apresentação.

Ficha técnica:

Lucas Coimbra – voz/ acordeom

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @lbcoimbra

Tuco Pellegrino

Data: 16 de abril, sexta-feira, às 20h

Tuco Pellegrino cantor e compositor, integrante da Ala de Compositores da Portela, possui 2 discos solos gravados além de 02 discos com Cristina Buarque e Terreiro Grande. Atualmente faz um trabalho solo e é integrante do Glória ao Samba. A apresentação será composta de duas músicas inéditas do compositor, “Mensagem Subliminar” e “Zero com Nada”.

Ficha técnica:

Tuco Pellegrino – cavaquinho / voz

Camarão Neto -Pandeiro

Rafael Oliveira -Violão

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @tucopellegrino

Rodrigo Régis

O cantor e compositor andreense Rodrigo Régis apresenta músicas inéditas do seu novo álbum, intitulado “Vamos Chamar o Sol”. Com previsão de lançamento para 2021, este que é seu segundo trabalho solo, traz uma estética solar, dançante e tropical, com letras que remetem à leveza e a poesia. As músicas serão:  Vida Leve e Dance Comigo.

Ficha técnica:

Rodrigo Régis – violão /voz

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Monkey Jhayam

Após 12 anos de carreira, Monkey Jhayam se concentra no afrofuturismo, panafricanismo e a pangeia musical trazendo um choque de realidade para combater as desigualdades com a melhor arma, a arte. As músicas autorais apresentadas serão: “Mais Um Dia” e “Desengano da Trindade”.

Ficha técnica:

Monkey Jhayan – Voz

DJ B8 – Disc Jockey

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @MonkeyJhayam

Anette Camargo

Data: 9 de abril, sexta-feira, às 20h

Cantora e pianista, desde os 6 anos atuando na música, participa de vários projetos apresentados, “Anette Camargo Trio”, Projeto Tania Maria, Motown Songs e Anita Baker, em casas de jazz de renome em São Paulo como, Blue Note e outras.  Apresentará seu trabalho autoral divulgado em 2020.

Ficha técnica:

Anette Camargo – voz / piano

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCZUc1UGtiVlnzkG1IKcbhmA

Death Valley Stones
Data: 30 de abril, sexta-feira, às 19h

Banda de rock Santo André, com 5 músicas autorais em inglês, apresentará, dois clipes “Trance” de 2015 e “Existence” de 2019, lançados no primeiro EP em 2019, The Regent.

Ficha técnica:

Fabiano Vênkoff – Voz/Baixo

Libero Dietrich – Guitarra/Backing 

Pedro Alzaga – Bateria

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC8tWlp28co3nF03jue0o-gg

Banda VNKOF 

Data: 19 de março, sexta-feira, às 20h

Num projeto sensível e de muita identidade musical, com a produção musical do renomado Tadeu Patola, a banda questiona o respeito nas canções que apresentará, um trabalho de 2019.

Ficha técnica:

Fabiano Vênkoff – Voz/guitarra / violão

Rafael Chacon – Bateria

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Youtube: https://www.youtube.com/user/FabianoVenkoffMusico

Foto

Tata Alves

Data: 23 de abril, sexta-feira, às 20h

Compositora, cantora e violinista, participou de vários festivais levando a premiação de melhor música, melhor vocal, melhor banda e aclamação popular. Já abriu shows de grandes cantores como Elba Ramalho, Falamansa entre outros, e em 2014 gravou pelo selo Sony Music. Apresentará a música “Antes do Big Bang” e “Dendê”, de sua autoria.

Ficha técnica:

Tata Alves – voz/ violão

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UChbyQ0SueYEppREDVNTpyTg

Touro Mecânico

Com instrumentos típicos do bluegrass e inspirada no folk e hillbilly, a banda Touro Mecânico tem uma sonoridade rural com temáticas urbanas. Apresentam duas músicas autorais: Raiz caipira e Casanova.

Ficha técnica:

Felipe Duarte Costa – Bandolim

Rafael Alencar dos Santos – Baixo

Alex Gerald dos Santos – Banjo

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @bandatouromecanico

Giant Jellyfish

“Underwater Fuzz” é como a Giant Jellyfish, banda de Santo André, define a sua sonoridade, que passeia entre os estilos como o “stoner”, o rock psicodélico, o “doom” e o “grunge”. Em 2018 lançou seu primeiro álbum e um vídeo clipe. Banda do Coletivo Rock ABC, tem participação em vários festivais como o de Inverno de Paranapiacaba, Culturas e Sabores, SBC e assim como em shows no ABC e São Paulo.

Teka Almeida – teclado e voz

Rafa Almeida – guitarra

Cláudio Funari – baixo

Leandro de Villa – bateria

Instagram: @giantjellyfish_band

The Forest

Banda Paulistana formada em 1995, atualmente radicada no ABC paulista. Com influências de bandas clássicas dos anos 80, porém com uma sonoridade mais densa, com guitarras distorcidas, percussões tribais e vocais contrastantes. Com 2 CDs gravados, um deles pertencente ao catálogo do selo inglês “Voiceprint”, além da coletânea lançada na Inglaterra chamada “The Roots of Brazilian Metal”. A Banda integra o do Coletivo Rock ABC.

Ficha técnica:

Sérgio Foltran – guitarra, vocal

Arianne Dorador – teclado, backing

Evandro Barbosa – baixo, backing

Bruno Turbilhão – bateria

Instagram: @theforestband

O Bardo e o Banjo

O show do Bardo e o Banjo é um convite a alegria. A interação do banjo e do violino com a cavalgada do baixo e os gritos entre as melodias, proporcionam o fervor da música folk, levando o espectador ao reconhecimento de uma música diferente. O Bluegrass, gênero tradicional americano, mesclando a música country e a irlandesa, é o principal ingrediente que compõe o estilo da banda. Com 5 álbuns gravados, tocaram em grandes festivais como o Lollapalooza, a música “You need some Hope” fez parte da trilha sonora da novela Paraisópolis, 2015 da rede Globo.

Ficha técnica:

Marcus Zambello – bandolim, violino e voz

Wagner Creoruska – banjo, bateria e voz

Maurício Pilcsuc – baixo acústico e voz
Instagram: @obardoeobanjo

Literatura:

Sarau – Algumas Coisas P[O]R[A] Dizer

Data: 10 de abril, sábado, às 20h

Parece que algumas vezes deixamos coisas por dizer… e dizemos tantas outras que por algum tempo ficaram nos rondando. É dessa maneira que os artistas Edu Guerra, Marcos Lemes e Paulo Dantas se encontram nesse Sarau; prontos para dizer, cantar, ler, tantas coisas que fazem parte do seu universo artístico/estético. Poemas, canções e textos que, de alguma forma, traduzem seus olhares sobre diversos temas.

Marcos Lemes é ator, diretor, iluminador, artista plástico, escritor e professor universitário. Música Falada é seu trabalho mais recente, ao lado do violonista Edu Guerra e do percussionista Gilson Cardoso. O poeta e escritor Paulo Dantas, e o músico Edu Guerra integram o Sarau. Paulo Dantas é também autor de “A butija dos dizer” (coleção Mimo, Alpharrabio, 2018) e da proposta poética do espetáculo Mundo di Versos Incarnados.

Ficha técnica:

Edu Guerra – violão/ voz

Marcos Lemes – poeta/ escritor

Paulo Dantas – poeta/ escritor

Duração: 1h

Instagram: @eduguerradeandre

@marcoslemesartes

Sarau – Sarau da Floresta

Data: 29 de abril, quinta-feira, às 20h

Com mediação do poeta Carlos Lotto, o Sarau Poemas da Floresta apresenta poemas, textos e canções sobre a Mata Atlântica, a cultura indígena e afro-brasileira, preservação, depredação e memória, com a participação do cordelista Moreira de Acopiara e do músico, compositor e videomaker Joel Costamar, todos com repertório próprio. Duração de cerca de uma hora em vídeos pré-gravados.

Ficha técnica:

Carlos Lotto – poeta

Joel CostaMar – violão/ voz

Moreira de Acopiara – poeta de cordel

Duração: 1h

Instagram: @joel_costamar

@carlos.lotto

Sarau – “Paranapiacaba: afetos e memórias”

Este projeto é um vídeo poema, resultado de   produções autorais das artistas Denise Coelho e Rosana Banharoli em homenagem à Vila Histórica Ferroviária de Paranapiacaba, Santo André, São Paulo. Além de músicas e poemas autorais, as autoras darão curtos depoimentos sobre suas memórias e vivências afetivas com inserções de imagens de arquivo pessoal relacionadas à Vila. O projeto, de apresentação, online, tem duração estimada de 30 min e é destinado a todos os interessados em música, poesia e, também, como documento, agente na preservação da memória da única Vila Ferroviária, tombada no país por seus atores locais.

Ficha técnica:

Rosana Banharoli – escritora/ poeta

Denise Coelho – cantora

Duração: 50’

Instagram: @denise.coelho.singer.cantante

@rosanabanharoli

Cênicas:

Circo

Cia Corpo Mágico (espetáculo: Melodias de um sonho)

Data: 14 de março, domingo, às 15h

Integrantes:

Daniela Helena Calça – artista circense, acrobata e bailarina;

Fausto Henrique de Oliveira – artista circense, palhaço e acrobata

A Cia Corpo Mágico apresenta um pocket do espetáculo “Melodias de um sonho”.

Sinopse: “Enriko é um jovem “sonhador” que cumpre todos os dias, com muito orgulho sua obrigação de manter limpa e bonita a praça que sempre foi cenário de suas brincadeiras e sonhos de infância. Porém, está sempre indignado com o que as pessoas descartam, mesmo ainda tendo alguma utilidade. Numa tarde de outono, Enriko se encanta com a linda melodia de um realejo tocado por Alicia, uma jovem encantadora apaixonada por seu macaquinho Romeu. Enriko e Alicia descobrem que através desta amizade, todos os sonhos podem se transformar em realidades “Como num toque de mágica!”.

Ficha técnica:

Elenco: Daniela Helena Calça (Alicia e Boneca)

Fausto Henrique de Oliveira (palhaço Gari/ Músico) 

Duração: 15’

Gênero: Comédia Romântica         

Classificação: livre

Instagram: @ciacorpomagico

Cia Diálogos Acrobáticos (espetáculo: Ser…Tão )

Integrantes:

Michelli do Carmo Rebulho – artista circense

Jeisel Bomfim Cerminaro – artista circense

Em um lugar desolado e esquecido no sertão nordestino, dois artistas tentam reconstruir sua história juntando fragmentos de memórias pessoais e as lembranças de picadeiro de um circo que não existe mais. Ser…Tão é um espetáculo visual que utiliza de números circenses, poesia de cordel, cenas cômicas em uma teia dramatúrgica que se constrói pela memória dos personagens. Falando de resiliência e esperança, o espetáculo usa a vida no sertão como metáfora de luta, lutar para viver, amar e fazer arte.

Com números de parada-de-mãos, pole dance giratório, “Elvis” do Sertão (número de cascatas), Mastro Chinês solo, Número de Passeio Aéreo, Mastro Chinês Duo e muita poesia de cordel!
Ficha Técnica:

Elenco- Michelli Rebulho e Jeisel Bomfim  

Direção e Pesquisa – Victor de Seixas

Finalização – Alê Roit

Dramaturgia- Coletiva Cordéis: Pitty Gomes e Alê Roit 

Composição e arranjos- Fellipe Nosor

Figurinos – Michelli Rebulho

Cenografia – Michelli Rebulho e Rafael de Castro

Técnico de Mastro Chinês: Carlos Sugawara

Técnico de montagem e estrutura – Jeisel Bomfim

Produção- Diálogos Acrobáticos

Instagram: @dialogosacrobaticos

Dimy, o ilusionista – (espetáculo: Circo Mágico Show)

Data: 21 de março, domingo, às 15h

O ilusionista Dimy, possui 20 anos de experiência em shows presenciais, porém, devido a esta nova realidade, o espetáculo Circo Mágico Show foi cuidadosamente adaptado para um formato digital. O cenário é um circo totalmente colorido e mesmo a distância, as crianças participam do show com mágicas surpreendentes e divertidas. Algumas das mágicas apresentadas são: Levitação da Mesa Encantada, Pintura Mágica com Tinta Invisível, Passe Passe do Cubo Mágico, Magia Digital e a participação especial da Coelhinha GIGI. Um grande show para toda família!

Ficha técnica:

Elenco: Dimy

Duração: 40’

Classificação: livre

Instagram: @magicofestainfantil

Grupo Irmãos Becker (espetáculo: Circo Malabarístico)

Data: 28 de março, domingo, às 15h

Integrantes:

Duba Becker – artista circense;

André Becker – artista circense

Os Irmãos Becker exploram a criatividade, a plasticidade e a diversidade de materiais. Malabaristas cômicos incluem no espetáculo além das tradicionais bolas e claves e os mais variados objetos: facas, claves de luz e cones de rua.

Sinopse: Artistas interagem com o público explorando os diferentes ângulos e possibilidades do malabarismo. Com diálogos nonsense e piadas rápidas, eles selecionam “voluntários” na plateia para ficarem sob a passagem de facas e apresentam um desengonçado balé jogando malabares com cones de rua. Em outro número, trocam claves em diferentes alturas: o espertalhão San Duba as lança ao inocente Klaus, ao mesmo tempo em que sobe os degraus de uma escada. Em uma demonstração de equilíbrio, San Duba ostenta a escada sobre o queixo e Klaus faz o mesmo com 12 cones. No número final, totalmente no escuro, os materiais luminosos dançam e criam formas na imaginação do público, além da surpresa de um boneco iluminado jogando bolinhas de malabarismo.

Ficha técnica:

Direção: Grupo Irmãos Becker

Elenco: Duba Becker e André Becker

Criação e produçao: Cristina Becker

Classificação etária: livre

Duração: 50’

Instagram: @irmaos.becker

Foto de Cristina Maria Russo Becker

Circo Nosotros (Esquete:  Famiglia Milan e o Gran Circo Guaraná com Rolha)

Integrantes:

Sandra Milan – artista circense

Marcelo Milan – artista circense

Formado em julho de 1999, o Circo Nosotros é um núcleo de estudos e produções circenses que em tudo que faz imprime sua paixão pelo brasileiro e sua cultura. Contando com grande ecleticidade, mistura forte escola tradicional com linguagem contemporânea.

Sinopse: Através da expressividade do cinema mudo, os atores-acrobatas levam o público às primeiras décadas do século passado com seu cenário, figurino e sua encenação. De um jeito divertido e ingênuo, os palhaços do espetáculo Famiglia Milan e o Gran Circo Guaraná com Rolha conduz o público as gargalhadas, tornando-se uma experiência única, que encanta e diverte pessoas de todas as idades, sendo recomendado especialmente para o público jovem.

Ficha técnica:

Marcelo Milan – ator/ palhaço/ cenografia e diretor

Sandra Milan – atriz/ palhaça e figurinista
Site: https://circo-nosotros.webnode.com/

Teatro

Cia. Teatro no Pires (espetáculo: Quem já foi velho, levanta a mão)

Integrantes:

Sergio Pires – direção e dramaturgia

André Andrade – músico

Renata Moré – atriz

Sandra Maurami – atriz 

O espetáculo estreou em dezembro de 2019.  QUEM JÁ FOI VELHO, LEVANTA A MÃO realizou dez apresentações para o Projeto Biblioteca Viva da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Também se apresentou dentro da Programão do Expresso Cultural da Secretaria de Cultura e Juventude da Prefeitura de Mauá. Para todas as idades.

Duração: 50’  

Instagram: @pires404

Cia Furunfunfum (espetáculos “Os 3 porquinhos” e “O Flautista de Hamelin”)
Data: 11 de abril, domingo, às 15h

Marcelo Zurawski – ator e músico;

Paula Zurawski – Função: atriz e cantora

Ogrupo Furunfunfum utiliza em suas montagens as mais variadas técnicas e estilos teatrais – música, canto, manipulação de bonecos. Em 28 anos o grupo produziu 18 espetáculos e se apresentou em cinco países diferentes, além do Brasil
Instagram: @ furunfunfum.teatro

Os Três Porquinhos.

O espetáculo é dividido em duas partes. Na primeira são apresentadas canções e histórias musicais tradicionais com acompanhamento instrumental ao vivo (flauta transversal e violão). Na segunda parte é representada, com bonecos, a história dos Três Porquinhos. O espetáculo mantém-se fiel ao conhecido enredo dessa história. A novidade está no ritmo vertiginoso da encenação, que utiliza amplamente o improviso e convida a plateia a interagir com os personagens.

Ficha técnica:

Músicas: Baião; São João Dararão; Gatinha Parda; Tangolomango; História Da Coca; Sambalelê – todas do Folclore Brasileiro

Concepção / Direção / Atuação: Marcelo e Paula Zurawski

Bonecos: Sérgio Serrano

Cenografia: Nani Brisque / Naná Lavander

Figurinos: Amarilis Arruda

Confecção e manutenção de bonecos e cenários: Claudia Tavares / Gal Gruman / Naná Lavander

Recomendado para crianças a partir de dois anos

Duração: 50 minutos

O Flautista de Hamelin

A história se passa na Idade Média. Uma terrível invasão de ratos assola a cidade de Hamelin, deixando o povo desesperado. Quando todas as tentativas de acabar com a praga parecem frustradas, surge um personagem estranho e misterioso – um flautista – que promete livrar Hamelin dos ratos, mediante o pagamento de certa soma em dinheiro. Ele cumpre a promessa, mas quando volta para receber seu pagamento, é ridicularizado e enganado pelas autoridades. O flautista, então, decide vingar-se de Hamelin, tirando da cidade seu bem mais precioso.

Ficha técnica:

Concepção/Direção: Marcelo Zurawski e Paula Zurawski

Atuação: Marcelo Zurawski e Paula Zurawski

Músicas: Marcelo Zurawski e Paula Zurawski

Bonecos: Naná Lavander

Cenografia: Silvia Gandolfi

Figurinos: Amarílis Arruda e Jorge Constantino

Iluminação: Sylvie Layla

Recomendado para crianças a partir de quatro anos.

Duração: 50 minutos

Cia Navega Jangada (espetáculo: A Pequena Semente Do Tempo)

Data: 25 de abril, domingo, às 15h

Integrantes:

Rodrigo Régis – ator, músico;

Talita Amaral – atriz
Instagram: @rodrigoregis_oficial

A Pequena Semente do Tempo

Sinopse: Julieta é uma menina de 7 anos, brincalhona, arteira e curiosa. Seu avô Nono é um senhor sábio, contador de histórias, e grande amigo de um tal de… tempo. Os dois tem algo em comum: aproveitar esse tal tempo, mesmo que de formas diferentes. Essa relação de amizade e companheirismo entre os dois, faz com que possam embarcar em um mundo lúdico de histórias contadas através da manipulação de objetos, roupas, tecidos, mamulengos e sombras. Essas histórias ganham vida no tempo ágil de Julieta através das “janelas da imaginação”.
Ficha Técnica
Classificação: livre

Duração: 55 minutos

Criação: Talita Cabral e Rodrigo Regis

Texto e direção: Talita Cabral

Elenco: Talita Cabral e Rodrigo Regis

Músicas: Rodrigo Regis

Foto de Edson Prudêncio

Teatro Por Um Triz (espetáculos: Pinóquio Etc e Tal e O Dinossauro e a Borboleta)
Data: 30 de abril, sexta-feira, às 15h

Integrantes:

Márcia Nunes – atriz e dramaturga;

Péricles Raggio – ator e dramaturgo;

Andreza Domingues – atriz;

Wagner Dutra – ator;

Luciano Antônio Carvalho – músico

O Teatro Por Um Triz, nasceu em 1996 com a proposta de pesquisar a associação do trabalho de ator com as diversas linguagens do Teatro de Animação.  Ao longo de mais de 20 anos produziu espetáculos, narrações de histórias, intervenções cênicas e ministrou oficinas. O grupo já participou de festivais pelo Brasil e de Festivais de Teatro de Animação Internacionais na França e na Espanha.

Facebook: @teatroporumtriz  

Pinóquio, Etc e Tal

A aventura do boneco de madeira que queria ser gente é contada, de forma original, nesta adaptação do Teatro Por Um Triz. O espetáculo acontece dentro do ambiente de uma marcenaria onde, após receberem uma encomenda inusitada, quatro marceneiros lembram-se de Pinóquio e, através de materiais existentes na marcenaria – pedaços de madeira e ferramentas – resolvem contar passagens do clássico de Carlo Collodi.

Ficha Técnica

Texto – Márcia Nunes e Péricles Raggio (a partir da obra de Carlo Collodi)

Direção – Henrique Sitchin Bonecos e cenografia – Teatro Por Um Triz

Trilha sonora – Loop B

Elenco – Andreza Domingues, Márcia Nunes, Péricles Raggio, Wagner Dutra

O Dinossauro e a Borboleta

Espetáculo online, de Teatro de Animação, idealizado por Péricles Raggio, durante a pandemia de 2020

No período pré-histórico do planeta Terra, um pequeno e solitário Dinossauro torna-se, inesperadamente, pai adotivo de uma… Borboleta! A relação dos dois personagens tem início quando o pequeno Dinossauro encontra um ovo abandonado e decide chocá-lo. Do ovo nasce a Borboleta. A partir daí a dupla passa por algumas situações em que a relação de pai e filho é explorada, de forma cômica e afetuosa.

Ficha técnica

Roteiro – Péricles Raggio

Atuação – Péricles Raggio e Andreza Domingues

Duração do espetáculo – 30 minutos

Contação de história

Sandra Maurami – (“Vó e o Saci” e “O dia em que o Saci aprontou com a Vó”)

Sandra Maurami é atriz e contadora de histórias, pós-graduada na área com 15 anos de experiência. Tendo em seu currículo empresas como Louis Vuitton, Banco do Brasil, Editora SM e Brinque Book, Livrarias Cultura, Saraiva.

Sinopse das histórias

Vó e o Saci

Vozalinda (Vó) é uma contadora de histórias da roça. Seu repertório é totalmente voltado para o folclore brasileiro e desta vez ela vai contar tudo sobre o Saci Pererê. Como ele nasce, cresce e como podemos caçá-lo e fazer curso de “aprontagem” com esse menino que é o maior protetor da floresta. Ela mesma já fez vários cursos com Saci.

O dia em que o Saci aprontou com a Vó

Saci vai fazer uma visita pra Vó e apronta com ela, sujando toda a sua casa de poeira. Mas, como a Vó já fez vários cursos de aprontagem com Sacis, ela espera o dia do Saci voltar e o surpreende com uma aprontagem dela. A Vó é muito esperta.
Instagram: @sandramaurami

Cristino Wapichana – contador de histórias / escritor (A história da onça e o fogo)

Cristino Wapichana, é escritor, músico, compositor, cineasta e contador de histórias. Patrono da Cadeira 146 da Academia de Letras dos Professores (APL) da Cidade de São Paulo. É autor do livro A Boca da Noite, traduzido para o dinamarquês e sueco, este vencedor da Estrela de Prata do Prêmio Peter Pan 2018, do International Board on Books for Young People (IBBY); Escritor brasileiro escolhido pela Seção IBBY Brasil para figurar a Lista de Honra do IBBY 2018:  Prêmio FNLIJ 2017 nas categorias Criança e Melhor Ilustração; Prêmio Jabuti 2017.

A história da onça e o fogo

Sinopse: No tempo imemorial, os seres falavam a mesma língua. Tamanduá fez uma festa e todos foram convidados. A onça não tinha pinta alguma e suas garras, eram compridas. Depois de beber parakari, a onça criou uma confusão até com o dono da festa. Então a amarraram e a levaram para sua casa. Ela ficou brava e dava susto em todos que via. Um dia, viu o fogo que parecia gente, caçando e resolveu assustar o fogo. Depois do susto, começaram a brigar e então o fogo a queimou, deixando suas marcas na onça e até suas garras encolheram. Até hoje ela tem medo do fogo.

Cia Patética (Histórias do que é e do que pode ser)

Integrantes:

Fábio Parpinelli -contador de histórias, ator;

Liz Moura –  contadora de histórias, atriz;

Neto Medeiros – ator

A Cia. Patética é um grupo teatral surgido no ano de 2001 com o objetivo de explorar as possibilidades expressivas e artísticas da linguagem do Teatro de Animação,   especialmente   dentro   do   universo   infantil.   

Facebook: @ciapatetica.deteatro

Histórias do que é e do que pode ser

Sinopse:

Roupas podem ser trocadas… acessórios também. Objetos têm a sua utilidade… e as histórias também… E por que não transformar as roupas, os acessórios e os objetos em histórias? Será que as coisas podem ser outras coisas, além do que elas realmente são? Histórias do que é e do que pode ser brinca com essa possibilidade de dar novo significado ao que já conhecemos, criando histórias, personagens e situações a partir do que era, até então, inanimado.

Ficha Técnica

Gênero: contação de histórias, teatro de animação e música ao vivo Recomendação: a partir de 3 anos

Duração: 45 minutos

Textos e músicas: Fábio Parpinelli

Ideia Original e Direção: Cia.Patética

Elenco: Fábio Parpinelli, Liz Moura, Neto Medeiros

Flor de Crejoá (contações – Flores Pássaros E Cancões – Episódio 1 e Episódio 2)   
Data: 18 de abril, domingo, às 15h – Episódio I
Integrantes:

Rita Gut (Ritta de Cássia Souza) Função: contadora de histórias, cantora;

Gabriel Ivanoff (Gabriel Ivanoff Lopes) Função: contador de histórias, músico

A intenção do grupo, que existe desde 2016, é agraciar desde os pequeninos até os avós, fazendo com que todos se divirtam e participem sem mesmo se dar conta. Com a delicadeza da flor e a leveza do passarinho, e a vontade de fazer a poesia e melodia voar por muitos cantos, nasceu o Flor de Crejoá!!

Instagram: @flordecrejoa

No projeto “Pássaros, Flores e Canções” o grupo apresenta lendas ou contos do Brasil e do mundo sempre voltados para a relação do homem com a natureza. Dentro desse projeto são apresentadas três lendas diferentes, das quais se pode escolher duas, com a duração média de 45’: Lenda do Girassol (Brasil), Lenda do Uirapuru (Brasil) e A Tecelã de Nuvens (Japão).

Ficha técnica:

Elenco: Rita Gutt e Gabriel Ivanoff

Direção e Concepção: Rita Gutt e Gabriel Ivanoff

Produção: Flor de Crejoá

Público Recomendado: Infantil e toda a Família

Duração: 20’ por episódio

Sandra Guzmán e André Gonçalves

Data: 4 de abril, domingo, às 15h

Integrantes:

Sandra Guzmán – contadora de histórias

André Gonçalves – músico (percussionista)

Sandra Guzman, é educadora, brincante e mediadora de Leitura para pessoas de todas as idades. A artista é referência na contação de contos populares e para ilustrá-los, manipula os personagens construídos em feltro e outros materiais.   É autora do Projeto Histórias sem Nome…até você chegar! Realizou apresentação em mais de 20 bibliotecas públicas em SP em encontros presenciais e virtuais (Lives). Ela é acompanhada por André Gonçalves, músico percussionista, poeta e professor de iniciação musical, percussão e flauta doce. Atuou com trilhas sonoras em peças de teatro e narração de histórias. Atualmente é percussionista no Coral da Oficina de Arte e Cultura Roberto Mendes Barbosa.

A Pombinha e a Moura Torta

Sinopse: esse clássico conto popular brasileiro, conta a história de uma princesa que foi transformada em pomba por uma bruxa torta e malvada e de um príncipe que pode salvar a princesa. Narração com instrumentos, música, poesia, sotaques e muita diversão.

Ficha técnica:

Sandra Guzmán – contadora de histórias

André Gonçalves – músico (percussionista)

Duração: 30’

Oficinas de convidados:

Oficina de balé africano com Flávia Mazal

Flávia é coreógrafa e dançarina da Trupe Benkady que pesquisa a música, dança e a cultura Mandingue, da África, principalmente na Guiné Conacri, desde 2010.

Descrição: A Oficina traz uma releitura das danças dos balés da Guiné-Conacri e promove, além do bem estar físico e mental, a valorização da Cultura Africana através de sua dança. Os participantes experimentam as expressões corporais, rítmicas e imateriais de nossas raízes africanas. A oficina inicia-se com a preparação corporal – fortalecimento, alongamento, condicionamento físico, mobilidade e consciência corporal – que é fundamentada dentro dos princípios de Pilates Solo e Reeducação do Movimento, visando a melhoria da saúde física e cognitiva do participante.

Ficha Técnica
Classificação: a partir de 10 anos

Duração: 50’

Oficina de dança africana com Fanta Konatê

Data: 13 de março, sábado, às 11h

Cantora, bailarina e compositora da Guiné Conacri, Fanta Konatê, é filha do Mestre Percussionista Famoudú Konatê. Sua família é uma das mais representativas da arte tradicional Malinkê da região do Hamaná, onde surgiram o tambor Djembê e a música dos Griôs. A artista deixou sua terra natal, a República da Guiné, para viver em São Paulo, em 2002.

Descrição: As oficinas de Fanta Konatê ensinam as danças da Guiné e África Oeste, tanto nos contextos tradicionais das aldeias quanto a arte dos balés da capital Conakry, ensinando na Guiné, Brasil e Japão. Assim como seu pai, o Mestre Famoudou Konate, ela preserva a didática africana, ensinando tanto a técnica quanto o significado de cada contexto, dando o background necessário para o conhecimento global da cultura Malinkê e de outras etnias da Guiné.

Ficha Técnica
Classificação: livre

Duração: 50’

Oficina de ginástica brincante para a família com Leo Dias
Data: 10 de abril, sábado, às 11h

Léo Dias é professor, músico, compositor, comunicador e trabalha com eventos, possui formação em Educação Física e pós-graduação no nível especialização em lazer e recreação – FEFISA.

Descrição: A oficina de ginástica brincante, compreende em jogo recreativo, música, corpo e movimento. Ideal para pais e mães brincarem e se exercitarem com os filhos. Todos podem participar respeitando suas individualidades, mas crianças de 04 a 07 anos aproveitam melhor.

Duração: 45’
Instagram: @leodiascomunicador

Oficina de capoeira “Ancestralidade na mente, corpo e alma”, com Contramestre Japa

Data: 24 de abril, sábado, às 11h

fantaDenis Oyakawa (contramestre Japa) éformou-se em capoeira, por mestre Zé de Andrade em 2005, após retornar do Japão onde desenvolveu um trabalho de capoeira durante 3 anos, começou a desenvolver um novo trabalho no Brasil junto a ONGs como coletivo N.A.S.A e Fórum dos mutirões. Fundou recentemente seu grupo Raiz Popular Capoeira onde tem sua sede no bairro Casas populares na cidade de Santo André. Recentemente nos anos de 2018 e 2019 esteve participando de eventos internacionais nos EUA onde ministrou oficinas de Capoeira nos estados da Pensilvânia, New York, New Jersey e Virgínia.

Descrição:

Oficina traz a introdução a cultura da Capoeira trabalhando o corpo em um rápido aquecimento e alongamento, na sequência haverá uma introdução a ginga que a base do jogo de Capoeira. Após isso o mestre ensinará movimentos básicos da Capoeira, início com a musicalidade e no final haverá uma fala sobre a cultura e filosofia ancestral. Indicado a partir de 8 anos.

Instagram: @contramestrejapa

Oficina – Tapeçaria: adaptação do bordado para a tapeçaria com Anita Carvalho

Anita Carvalho é artista plástica e adaptou um ponto de bordado para a tapeçaria usando lã fina, ponto esse que foi intitulado por ela de Carva (referência ao seu sobrenome). Na apresentação a artista ensinará a técnica e o ponto inéditos em tapeçaria.

Aula de yoga com Camila Cherene Barros de Souza

Data: 27 de março, sábado, às 11h

Monja, yogui e com graduação em Medicina Tradicional Chinesa, Camila Cherene ministrará uma prática de respiração para aliviar o stress.

Oficina de capoeira com Manoel Messias Pereira dos Santos

Manoel Messias Pereira dos Santos, é Mestre de capoeira, tem como proposta de oficina passar os movimentos básicos da capoeira, histórias, fundamentos e musicalidade.

Oficina de PANCs, com Alexandre Almeida Oshiro 

Produtor cultural e culinarista, atualmente artista residente do ateliê Cia da Terra, na vila de Paranapiacaba – Santo André/SP. As PANCS (plantas alimentícias não convencionais) têm se tornado cada vez mais conhecidas, nesse vídeo o produtor e pesquisador Ale Oshiro, faz a identificação de diferentes tipos de “matos” que podem ser consumidos. Além de indicar suas restrições e sugestões de consumo.

Oficinas de expositores:

(Serão exibidos vídeos de curta duração)

Oficina Kixou biscuit com Cristine Barros de Lima

Artesã e expositora da Feira, que confecciona miniaturas para confecção de bolos, ensinará a confeccionar 2 peças em Biscuit.

Oficina de pintura de rosto com Danilo Pedrozo

Daniloé performer de rua, atua na Feira como o “sombra”, interagindo com as pessoas e como a “noiva”, uma das Lendas de Paranapiacaba. Fará uma oficina de pintura de rosto, mostrando o passo a passo de sua maquilagem artística.

Oficina “Como colocar um navio na garrafa” com Jorge Nakano

Jorge é artesão da Feira, desenvolve os barcos que coloca dentro de garrafas, baseado em modelos reais. Esta arte é uma das poucas que não tem nome e foi originada para que os marinheiros se ocupassem, evitando assim os motins. O artesão ensinará a colocar um barco dentro da garrafa.

Oficina de Marcadores de páginas com fuxico com Tania Aparecida Cunha Castelli

Artesã e expositora da Feira,Tania confecciona marcadores de páginas para livros de personagens conhecidos de histórias fictícias ou reais, em feltro. Ela fará uma oficina ensinando a fazer marcadores de páginas.

Oficina de origami com Denise Godoy Arashiro

Artesã e expositora da Feira, Denise ensinará a fazer uma peça simples e rápida de origami, técnica japonesa de formar figuras a partir de dobras de papel.

Oficina: O bordado fala com Tony Gonzato

Artista plástico premiado, com domínio de várias técnicas como óleo, xilogravura, cerâmica aquarela, empapelamento, Tony fará uma oficina ensinando 3 pontos de bordado em tecido.

Oficina de peça de vidro decorada com feltro com Viviane Caroline Melo

Artesã e expositora da Feira, Viviane, usa como matéria prima o ferro e também reaproveita materiais como potes de vidro e plástico para decorá-los, tornando-os em utilitários decorados. Fará uma oficina ensinando a fazer uma peça de vidro decorada com feltro

Artes Visuais

(Serão exibidos vídeos de curta duração)

Experiências sobre as edições do projeto “Portões que falam” com a artista visual, Sueli de Moraes. 

Artista plástica, visual e gastrônoma Sueli de Moraes é curadora do projeto “Cuiabá 153” e embaixadora do Les fenêtres qui parlent no Brasil. Nesta apresentação a artista enfocará o projeto “Cuiabá 153”.

Instagram: @cuiaba153

@sucamoraes

Ateliê “Natureza Impressa – Espaços Afetivos”, com a artista plástica Edvania Rêgo

Arte-educadora e artista plástica, natural de Santo André / SP, Edvania, realiza pesquisa com impressões e explora materiais e técnicas envolvendo Impressão em gelatina e Impressão Botânica “Eco Print”. A pesquisa percorre a área da gravura, porém são imagens únicas assim como a monotipia. Os elementos naturais fazem parte da escolha, seja extraindo cores ou mesmo revelando desenhos e formas que a natureza oferece. A artista discorrerá sobre essa pesquisa e mostrará sua produção no Ateliê “Natureza Impressa” em Santo André aberto ao público e incluído no Roteiro de Ateliês de São Paulo com ações culturais, desde 2019. A proposta seguirá três etapas: 1. Apresentação do espaço físico do ateliê em relação a entrada, espaço expositivo e local de produção; 2. Apresentação da artista, materiais utilizados e descrição de algumas obras realizadas; 3. Desenvolvimento da produção em Impressão Botânica – Preparação dos materiais, cozimento e abertura dos trabalhos.

Instagram: @edvania_rego

Projeto “Por aí mostrando o cotidiano das ruas e sua urbanidade” com o fotógrafo Nário Barbosa 

Jornalista e artista visual, há mais de 25 anos passando por vários jornais Diário Popular, Folha da Tarde, e atualmente no Diário do Grande ABC. Atualmente desenvolve projeto fotográfico que se chama ” Por Aí mostrando o cotidiano das ruas e sua urbanidade”, o qual será o enfoque de seu vídeo.

Instagram: @bnario

“Imprinting” com Cristina Suzuki 

Cristina Suzuki apresentará parte de uma pesquisa iniciada em 2007, que resultou na série “Imprinting”, seu processo de produção e os desdobramentos em diversas plataformas, partindo da gravura e estendendo-se às mídias digitais.

Cristina Suzuki é artista visual formada pela Faculdades Integradas Teresa D’Ávila – Santo André, SP. Tem participações em diversos salões de arte contemporânea no Brasil e obras nos acervos institucionais.

Instagram: @cristinasuzuki

“Passeios por Paranapiacaba”, através das lentes de Billy Albuquerque

Billy Albuquerque, é formado em Publicidade e trabalha com fotografia desde 1987 em Santo André e Grande São Paulo reportando eventos sociais e esportivos, corporativos, shows musicais e grandes eventos. No vídeo que será produzido artista fará um resumo dos últimos 4 anos em material fotográfico de suas reportagens de shows e passeios em Paranapiacaba nos Festivais de Inverno e também com imagens de eventos pela cidade de São Paulo e grande ABC paulista.

Apresentação da Exposição Fotográfica Visões Da Vila Ferroviária por Edu Guimarães

Repórter fotográfico, formado em jornalismo pela UMESP, Edu Guimarães, como Trabalho de Conclusão de Curso editou o livro “Paranapiacaba – Visões da vila ferroviária”, indicado pela Universidade Metodista ao Prêmio Expocom 2010 na categoria Produção Editorial e Produção Transdisciplinar em Comunicação. Além do livro citado, o material que compõem esse trabalho rendeu posteriormente a exposição fotográfica “Visões da Vila Ferroviária”, com imagens sobre a Vila de Paranapiacaba. O vídeo mostrará a referida exposição, através do monitoramento do artista.

Instagram: @eduguimaraesfoto

História do artista, por Valdo Rechelo

Valdo Rechelo é artista plástico, Coordenador e Curador da Fundação das Artes de São Caetano do Sul, desenvolve seus trabalhos nas linguagens da aquarela, colagens e desenhos. O artista plástico é pós graduado em História da Arte e Estética com curso de extensão universitária em Aquarela pela Faculdade Santa Marcelina, de São Paulo. Participou de exposições nacionais e internacionais. No vídeo, o artista fará um breve documentário sobre sua história e obras.

“Marcas”, por Elton Hipolito   

Elton Hipolito é artista visual, conservador-restaurador de obras de arte e montador de obras de arte. Bacharel em artes plásticas pelas Faculdades Integradas Coração de Jesus, Santo André, SP e técnico em conservação e restauração de bens culturais pela Fundação de arte de Ouro Preto, MG. Em “Marcas”, o artista Elton Hipolito apresenta parte dos trabalhos que fazem parte da série MARCAS. Esta série surge a partir da vivência do artista durante o ano de 2017, quando trabalhou nos locais atingidos pelo rompimento da barragem de Mariana.
Instagram: @eltonhipolito

“Carta do Homem Branco ao Cacique Seattle”, seus diálogos e desdobramentos, com Amanda Calin Nicoletti 

Amanda Calin Nicoletti (em artes, Psicótikka),é pós graduada em Linguagens das Artes no Centro Universitário Maria Antônia, USP, São Paulo e com graduação em Educação Artística, além de sua produção em artes visuais tem trabalhado com quadrinhos, e outras publicações, alé de atuar em direção de arte para cinema.  O vídeo apresentará a obra “Carta do Homem Branco ao Cacique Seattle”, instalação pensada e executada de forma coletiva, exposta na edição da exposição “Cuiabá 153 e Portões que Falam” de 2016, na cidade de Santo André, falando sobre seu processo de criação que se dá através de diálogos entre artistas e que convida o público também ao diálogo e a questionar suas escolhas e posicionamentos na busca por conforto e os reflexos disso na forma como se fomenta a agroindústria, conflitos com os povos indígenas e prejuízos causados aos ecossistemas. Reverbera dessa proposta o curta metragem experimental “Carta ao presidente Francis Pierce ou Algo sobre nosso Tempo”, criado num diálogo espontâneo com a instalação, que traz um outro olhar sobre os questionamentos já propostos pela obra, que também será exibido e comentado.

“TollerTox”, por Milton Toller  

O vídeo vai mostrar cenas de apresentações ao vivo de pinturas e imagens das obras finalizadas de uma maneira dinâmica e fundo musical produzido pelo próprio artista. Além de trabalhos em artes plásticas apresentados, entre vídeos e fotos, algumas cenas serão da vida musical do artista em apresentações ao vivo, suas tatuagens, escultura, entre outras atividades, mostrando a diversidade artística de uma vida em constante aprendizado e evolução nas artes. Com isso, se explica a terminação “TOX” em seu nome artístico (Toller Orbital Xperiences), que mostram por onde orbitam as ideias e as experiências de Milton Toller. Toller é ilustrador, artista plástico, professor de artes, ilustrador digital, designer gráfico, grafite e compositor de trilhas musicais.
Instagram: @tollertox

“Calligraffiti”, com Croma    

Neste registro apresento fisicamente o significado de calligraffiti, onde o artista croma mistura técnicas da caligrafia contemporânea somadas as técnicas do graffiti urbano. Carlos Croma é grafiteiro, designer e social mídia, com mais de 10 anos em contato com o Graffiti e a Arte Urbana. Busca, agora no Calligraffiti seu refúgio artístico.

“Arte e Saúde mental!!”, com Sueli Bomfiim 

A proposta é fundamentar como projeto terapêutico a arte como um dispositivo importante para a saúde mental e para sociedade como um todo. A arte tem colaborado muito para a transformação, trazendo à tona processos que nos preparam intelectualmente e criativamente, para vários caminhos da vida. No setor da saúde mental, a Arte tem um papel imprescindível nos tratamentos alternativos. A artista trabalha há 10 anos com usuários que fazem tratamento psiquiátrico. Sueli Bomfim é aquarelista e artista educadora na saúde mental e utiliza a arte em seu trabalho em CAPs.

Instagram: @suelibomfimfrancisco

@sueli.bomfim.aquarelas

“Escrita das ruas”, com Celo       

Celo, propõe uma apresentação que contará a origem do grafite, ensinando o primeiro estilo de letras de grafite e a construção das letras bomb (throw-up) com alfabeto. Arte educador Marcelo Silva Dantas (em artes, Celo), começou sua trajetória nas artes visuais (grafite) no ano de 1997, em 1999 fez um curso de desenho pela escola ESA Studio e Arte e lá aprendeu técnicas de pintura em tela, HQ, desenho básico, desenho artístico, ilustração digital, fotografia.  Em 2007 fez um curso superior em educação artística na Fainc Instituto Coração de Jesus. Atualmente trabalha como arte educador pelo Instituto SEEMA parceira da prefeitura de Santo André e ministra aulas de artes visuais e grafite nos CESAs (Centros Educacionais de Santo André).

Instagram: @celotcc

“Ateliê Liliane Pires” com Liliane Pires

Liliane Pires formada em Educação Artística, Mestre em Artes Visuais. Artista educadora na Fundação das Artes de São Caetano do Sul. Seu trabalho artístico é voltado em sua maioria para a pintura em tela e papel e alguns objetos artísticos. Atualmente está trabalhando em uma série intitulada CANTOS E VISTAS, de pinturas em diversos suportes. Seu ateliê hoje está localizado em São Paulo onde vive e mora: um espaço de criação, fruição e desejos, além de ministrar aulas particulares para interessados em desenvolver sua poética pessoal.

Artesãos / Expositores da Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba:

(Vídeos de 1’ a 2’, por expositor)

Angela Maria Pellegrini – artesã expositora – cria produtos temáticos com imagens da Vila de Paranapiacaba tais como: camisetas, moletons, imãs de geladeira e chaveiros

Anita Carvalho – artesã de tapeçaria – a artesã adaptou pontos do bordado para a confecção de suas tapeçarias. Anita Carvalho é artista plástica e adaptou um ponto de bordado para a tapeçaria usando lã fina, ponto esse que foi intitulado por ela de Carva (referência ao seu sobrenome). Na apresentação a artista ensinará a técnica e o ponto inéditos em tapeçaria.

Ana Lucia Pellegrini Pinheiro –artesã de crochê e tricô.

Ana Maria Talamine – perfumes naturais e linha esotérica com mandalas, porta incensos, e outros objetos decorativos.

Angélica de Cássia dos Santos – artes em algodão doce

Carlos dos Santos Silva – expositor de antiguidades –câmeras fotográficas e filmadoras antigas.

Carlos Eduardo de Faria – expositor de produtos derivados do Cambuci.

Cristiane Luchetti Gonçalves – Invernada Café – artesã comerciante de café artesanal

Carlos Paladini – expositor de antiguidades – colecionador de vinis

Cristina Mayumi Tanaka – artesão expositora, confecciona amigurumis, com técnica de crochê, utilizando linha de algodão e, bonecas de pano, ambos com enchimento de fibra sintética

Cristine Barros de Lima – artesã expositora – confecciona manualmente peças em biscuit, como miniaturas colecionáveis e para decoração de bolo.

Danilo Pedrozo – mímico e oficineiro – participa das feiras com os personagens “O Sombra”e “O Véu da Noiva”.

Davi Bellini Função: artesão expositor que faz relógios, quadros, imãs de geladeira, e bijuterias, reutilizando discos de vinil com o corte de uma retifica manual (ferramenta rotativa).

Denise Godoy Arashiro – artesã expositora – tem como principal produto os colares com castroado de aço em pedra natural e o Origami que consiste na técnica japonesa de formar figuras a partir de dobras em papel, juntamente com o orinuno, que é o “origami em tecido”.

Glinda Store – artesão expositora – trabalho artesanal em costura criativa

lvan Duenas – artesão expositor – faz quadros e demais trabalhos pirografados, bio-jóias com madeiras nobres em marchetaria maciça e com resina epóxi e com diversos outros materiais em sua criação das bios.

Joel Ferreira Guimarães – expositor de antiguidades – objetos variados

Jorge Nakano Função – artesão expositor confecciona barcos em garrafa

Karina Rodrigues Leite – expositora – garimpa peças de roupas e outros acessórios de figurino que passam por lavagem, steamer e curadoria

Lica Scabia – artesã expositora – trabalha com costura criativa

Lidi Mansur – artesã expositora – é ceramista e trabalha com cerâmica artesanal de alta temperatura, o que lhe permite produzir trabalhos como objetos utilitárias e decorativas e bijuterias, entre outros. As peças são modeladas à mão ou em torno, esmaltadas e queimadas.

Marcelo Villela  – expositor, artesão supraciclador – trabalha na área de supraciclagem (upcycling), na criação e confecção de móveis e objetos de decoração com materiais de descarte (tanto pelo homem como pela natureza) tais como, madeira, metais, vidro, ossos, etc.

Márcia Aparecida Tega Silva- artesã expositora – trabalha com amigurumis, bonecas e bichinhos feitos em crochê

Maria Custódia Martins da Silva – artesã expositora – trabalha com tricô e crochê, peças diversas (tapetes, jogos de banheiro, vestuário para bebês e outros)

Márcia da Silva Rodrigues de Oliveira – artesã expositora – confecciona Bonecas, Pesos de Porta, Peças Decorativas, Presépios, Bolos Fake, Bonecas Sachê, Ponteiras de Lápis e Canetas, Flores, etc. Utiliza materiais diversos, tais como EVA, Isopor, Tecidos, Garrafas PET, MDF, entre outros.

Marlise Goulart Balieiro – artesã expositora – trabalha com fuxico, costura criativa, bordado, entrelaçamento em pedraria, reaproveitamento e reciclagem, feltro, pintura em madeiras e mosaico.

Maria de Lourdes C. Maio Coelho – artesã expositora – criou a marca MALU ARTS. Trabalha com costura criativa e bordados, confeccionando peças para uso na cozinha, faixa turbante, turbantes, tiaras para crianças em tecido, scrunchie, máscaras de tecido. Confecciona também peças para bebês bordadas.

Marina de Lourdes Ferreira – Benedita’s Acessórios – peças em crochê, brincos em madeira revestidos de tecidos.

Maura Pereira dos Santos dos Anjos – artesã expositora – realiza pintura em tecido, tela e madeira.

Mônica Aparecida da Silva – expositora e artesã – faz sabonetes (saboaria), em forma de objetos, frutas e flores

Nilson Teixeira Bigoni – expositor artesão – utiliza nos trabalhos canos de pvc, mdf, vidros, acrílico, blocos e garrafas de vidro na confecção de luminárias.

Norikazu Tanaka – artesão expositor nos seus trabalhos utiliza, cimento, areia e isopor triturado para confecção de vasos e fontes, todos moldados em areia, devidamente impermeabilizados, pintados e selados.

Patricia Maria Brochado Ramacciotti – artesão expositora – criou a “Sun Moon Arte & Design” e “Vênus Moda Acessórios”, que realiza brincos, chokers, decoração, quadros, luminárias reflexivas, moda, em temas geek, retrô e rock.

Rebeca Avelino da Silva Dias – artesã expositora – atua no mercado de acessórios temáticos voltados para o mundo lúdico, usa técnicas de torção com fio de cobre, técnicas de trabalho em resina, costura em couro e modelagem de porcelana fria. Desenvolve peças artesanais como joias botânicas, adereços temáticos grimorios, artigos de decoração, entre outros.  

Regina Teixeira de Moraes Roque – artesã expositora – confecciona pratos decorativos e pintura em cabaças. Trabalha com pratos em vidro, técnica em decoupage e guardanapos com temas variados.

Regina Rosa da Silva Função – tecelã expositora – se especializou em produzir acessórios artesanais através da tecelagem manual em teares de pente liso. Faz xales, echarpes, cachecóis, ponchos, lenços, faixas, peças para compor o vestuário feminino.

Rosa María Colpaert Gonçalves – artesão expositora – trabalha com diversas TEC uvas e tipos de materiais incluindo os recicláveis

Sergio Chistou – artista plástico expositor – criou o Ateliê-Residência Arte Pau-d’arcodiversas linguagens e materiais: objetos em madeira decorativos e utilitários, baús artesanais incrustados com ferros, papel reciclado com fibras naturais, carros antigos em miniatura, além de propiciar encontros de artistas para trocas de experiências estéticas.

Sueli Aparecida Cabral da Silva – artesã expositora – confecciona peças em Patchwork, apliques e costura criativa

Suzete B. Garcia Valente – artesã expositora – trabalha com produtos em MDF temáticos, chaveiros, imãs de geladeira, porta chaves e placas decorativas.

Tania Aparecida Cunha Castelli Função – artesã expositora – faz marcadores de páginas personalizados, com figuras de personalidades.

Tony Gonzato – artista plástico, expositor– faz peças em cerâmica, xilogravura, desenho, bordado, colagem, pintura).

Viviane Caroline Melo – artesã expositora – trabalha com feltro na confecção de peças utilizadas na maternidade e objetos decorativos de festas e outros utilitários.

Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba foi contemplada pela Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba
Produção executiva e curadoria: Leonete Accetto e Anita Carvalho
Proponente: Ba Rocco Produções
De 12 de março, sexta-feira, à 30 de abril, sexta-feira (edição especial)
Links de visualização dos eventos:
Site: https://www.fparanapiacaba.com/
Facebook, @feiraparanapiacaba
Instagram, @fparanapiacaba
Youtube, https://www.youtube.com/channel/UCkybq5v5kXvN5UcTxShNnegf

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Começa a Feira de Artes e Antiguidades de ‘Parana’ em edição especial online"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *