Com investimentos e boa gestão, DAE prepara São Caetano às demandas futuras

1061 0

Da Redação – Não é novidade para nenhum cidadão que uma grave crise hídrica afeta a Região Sudeste do Brasil, área que inclui o Estado de São Paulo e ainda a cidade de São Caetano do Sul. Conhecedor dessa realidade, o Departamento de Água e Esgoto (DAE) do município investe pesado (cerca de R$ 35 milhões, até 2016) no chamado Plano de Sustentabilidade Corporativa, projeto que tem como objetivo primordial reduzir os índices de perdas de água dos atuais 21% para 15%, padrão internacional considerado satisfatório.

O prefeito de São Caetano, Paulo Pinheiro, explica que esses trabalhos são fundamentais para minimizar o risco de desabastecimento de água na cidade. “Muitas vezes, essas intervenções que o DAE executa não são tão visíveis à população, mas têm grande importância para preparar a infraestrutura física de São Caetano para que suporte as demandas dos próximos anos”, ressalta. “A cidade avança a cada dia, graças a um trabalho sério e baseado em boa gestão, planejamento e emprego de novas tecnologias.”

Um desses projetos, que teve sua ordem de serviço emitida em 1º de outubro, é o de Microsetorização dos Setores de Fornecimento de Água do município. O programa, cuja primeira etapa, em andamento, é a de planejamento e avaliação hidráulica, vai subdividir toda São Caetano em pequenas áreas, para facilitar o monitoramento das perdas e melhorar a gestão do sistema de distribuição de água. Na fase seguinte, que se estenderá por todo 2016, serão promovidas obras pelos quatro cantos da cidade, que servirão à instalação de equipamentos e ainda atualizações das redes de água.

A Operação Caça-Vazamentos, que está rastreando perdas ocultas nos 450 quilômetros da rede pública de distribuição e nos 38 mil ramais de água no município, é outro trabalho promovido pelo DAE para evitar o desperdício hídrico. Com quatro meses de duração, a intervenção utiliza o método de geofonamento, em que os técnicos verificam a existência de ruídos com uma haste de escuta. Se constatado barulho, os profissionais, então, acionam o geofone, aparelho capaz de detectar o ponto exato do vazamento, para que seja corrigido – em 24 horas, o problema é sanado.

Já o programa de Remanejamento da Rede de Água Potável, executado para elevar a eficiência na distribuição de água e reduzir os índices de perdas hídricas na cidade, foi concluído pelo DAE, no primeiro semestre. No total, foram substituídos 11,2 quilômetros de tubulações, num trabalho que custou R$ 1,7 milhão e abrangeu os bairros Nova Gerty, Santa Maria, Barcelona, Santa Paula e Oswaldo Cruz. Nas localidades, a autarquia municipal instalou tubulações do material denominado Policloreto de Vinila (PVC), assentados em ambos os lados dos passeios, para os quais os ramais prediais (ligações dos consumidores) foram transferidos. Também como parte desse programa, o DAE trocou 1,1 mil cavaletes por Unidades de Ligação, Medição e Controle (ULMCs) nos imóveis envolvidos pelas obras – são facilmente calibráveis, mais precisas e seguras contra fraudes.

Macromedição – Com vistas a aprimorar o sistema de averiguação do consumo de água na cidade, o DAE está realizando estudo para examinar ligações de 446 grandes consumidores do município, que gastam mais de 100 metros cúbicos de água por mês. A ação objetiva também proporcionar ainda mais precisão, tornar a medição mais justa ao usuário e à autarquia municipal e evitar o desperdício do recurso hídrico.

Mais ações – Em fevereiro de 2014, São Caetano recebia da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) 609 litros de água por segundo. Atualmente, no entanto, a cidade recebe 480 litros por segundo. “Contudo, graças às ações operacionais, comerciais e de conscientização do DAE e ao engajamento da população, o município já reduziu o consumo de água em quase 22% e não tivemos desabastecimento”, pontua o engenheiro Osmar Silva Filho, diretor-geral da autarquia municipal.

A distribuição de redutores de vazão de água de torneiras, dispositivos desenvolvidos por alunos do Senai-SP e cedidos ao DAE pela Fiesp, é a mais nova atividade da autarquia para incentivar a redução do consumo hídrico em São Caetano. As peças, que são pequenos anéis e de fácil instalação, podem moderar consideravelmente a quantidade de água que sai das torneiras de banheiros, cozinhas e tanques. Os redutores estão sendo entregues em kits, que contêm dois panfletos, sendo um para incentivar a diminuição do consumo hídrico e o outro com detalhado passo a passo à colocação dos dispositivos – informações adicionais podem ser obtidas pelo número 2181-1800.

Em próprios municipais, a população já pode conferir a nova campanha para instruir os moradores ao consumo consciente de água. Com linguagem contundente, o material estimula os munícipes a empregarem boas práticas para promover o uso sustentável do recurso hídrico (entre outras ações, cartazes, com orientações variadas, estão sendo afixados em unidades de ensino, de saúde e esportivas e panfletos informativos serão distribuídos à população pelos integrantes da Patrulha DAE – Pela Proteção da Água).

A iniciativa da autarquia também explica e valoriza o projeto à economia de água elaborado por alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Luiz Olinto Tortorello. Nele, os jovens criaram um dispositivo para evitar o desperdício hídrico nos sistemas de caixas de descarga dos vasos sanitários da escola – reutilizaram apenas material que seria jogado no lixo.

Esgoto – As tubulações subterrâneas que compõem o sistema de Esgoto na cidade também recebem atenção especial nos projetos desenvolvidos pelo DAE. Tanto que, no primeiro semestre, foram concluídas as obras de remanejamento e ampliação de 1.860 metros de redes de esgoto em diversos pontos da cidade, intervenções que foram realizadas para aprimorar o sistema de vazão, coleta e destinação dos dejetos. Orçados em cerca de R$ 4 milhões, os trabalhos começaram em 2014 e ocorreram em quatro etapas, em ruas e avenidas dos bairros Prosperidade, Fundação, Barcelona, Cerâmica, Santa Paula e Santo Antônio.

Pontual, o projeto foi realizado com vistas a atender e acompanhar as demandas de crescimento da cidade, para melhorar a infraestrutura aos moradores. Em oito, dos nove trechos das intervenções, a autarquia municipal utilizou o Método Não Destrutível (MND). Trata-se de um sistema de obras subterrâneas, de menos impactos ambientais e de trânsito, que preserva equipamentos públicos, asfaltos e calçadas; melhora a infraestrutura para residências, comércios e indústrias; e eleva a qualidade de vida – desde 2009, a cidade de São Caetano coleta e trata 100% de seu esgoto.

Ainda nesse setor, o DAE reforma a Estação Elevatória de Esgoto do Bairro Prosperidade, situada na Avenida dos Estados junto à Rua da Fortuna. A revitalização inclui a substituição das telas, melhoria da infraestrutura do espaço e pintura completa, entre outras benesses. Nesse local, o esgoto captado é bombeado ao coletor-tronco da Sabesp, eixo Tamanduateí, para ser direcionado à Estação de Tratamento de Esgoto ABC (ETE-ABC), localizada em São Paulo, próxima à Avenida Almirante Delamare e à margem esquerda do Ribeirão dos Meninos, na divisa entre São Caetano e a capital paulista.

Essa Estação e a da Tapajós, no Bairro Barcelona, que também será revitalizada, atendem a áreas em que a topografia não permite atingir o emissário de esgoto. Elas são fundamentais para assegurar a chegada dos dejetos na ETE-ABC.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Com investimentos e boa gestão, DAE prepara São Caetano às demandas futuras"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *