“Agonia” do São Caetano começou há quase nove anos

1237 0

Saulo Leite – O iminente rebaixamento do São Caetano para a Série B do Campeonato Paulista coincide com uma série de fatos que parece que abalaram a estrutura do clube. Acontecimentos que, de uma forma ou de outra, obrigaram a diretoria do Azulão a mudar muita coisa dentro e fora do campo. Erros e acertos acumulados e que dá a impressão que a própria diretoria já perdeu o entusiasmo ou o rumo.

O certo é que tudo parece ter começado em 27 de outubro de 2004 com a morte do zagueiro Serginho em um jogo contra o São Paulo no Morumbi. Ele sofreu uma parada cardiorespiratória aos 14 minutos do segundo tempo. Foi levado ao Hospital São Luiz, mas não resistiu.

Serginho era um zagueiro firme na marcação e também tinha ótimo ambiente no clube. De lá para cá nunca mais o Azulão conseguiu arrumar um “líder” em campo como o zagueiro. Fez muitos investimentos, mas a imagem de Serginho parece ainda rondar a área do São Caetano tal a ineficiência da zaga.

Se em campo o São Caetano desapareceu após a morte de Serginho, fora, o baque foi ainda maior quando em 17 de dezembro de 2004 (diferença de apenas quase 2 meses) faleceu o então prefeito de São Caetano, Luiz Olinto Tortorello, no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Tortorello foi o grande responsável pela montagem de uma grande estrutura que levou o azulão a ser destaque Nacional e inclusive vice-campeão da Libertadores da América.

O ex-prefeito foi peça da fundamental importância no projeto que fez do São Caetano a quinta força do futebol paulista ficando atrás somente de Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos. O time foi considerado modelo graças à estrutura financeira que envolvia alguns contratos de publicidade. Sem Tortorello o clube parece ter perdido o rumo.

Mas não parou por ai: Em 21 de junho de 2011, o vice-presidente do São Caetano, Luiz de Paula, o Batata, foi assassinado, em São Paulo, por um motociclista. Outra vez a estrutura do clube ficou abalada.

Tantos acontecimentos ruins que hoje a então “intocável” diretoria do São Caetano já é contestada por torcedores. Afinal, principalmente no Campeonato Paulista de 2013, os dirigentes abusaram do direito de errar.

Foi gasto muito dinheiro na contratação de veteranos como Rivaldo, Fábio Costa e até o polêmico Jóbson. E ainda por cima jogou nas costas dos treinadores a maior responsabilidade pelos erros. O Azulão precisa acordar.Para não chegar no fundo do poço e imitar o Santo André.

 

 


Frase:

Menti para o grupo, quanto a dores na panturrilha, para jogar a final. Pedia para não acontecer nada. Minha panturrilha foi generosa e fiquei até o fim. Esqueci a lesão. O grupo me recebeu muito bem. A juventude de algumas me deu uma alegria muito boa. Hoje eu precisava muito jogar bem. Houve muita dificuldade durante a temporada, mas graças a Deus deu tudo certo. Ter conseguido chegar na final era um objetivo desde o começo. Só peço a Deus que me dê muita saúde porque se isso acontecer eu vou mais um pouquinho…

 

Fofão, 43 anos, levantadora do Unilever, que faturou neste domingo o octacampeonato da Superliga de Vôlei Feminino, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo

 

 


 

 

CURTINHAS

LIMPEZA GERAL – Rebaixado ou não, o fato é que o São Caetano fará uma limpeza geral após o Paulista. Durante a semana, a imprensa especulou que o campeão mundial Rivaldo já teria sido dispensado. Mas deve continuar até o final da competição. Afinal, se dispensar o jogador o Azulão terá que pagar os salários normalmente ou fazer um acordo.

TIME MISTO – Na estréia da Copa do Brasil, o Santo Andre perdeu para o Veranópolis no interior do Rio Grande do Sul por 1 a 0. A imprensa gaúcha noticiou que o Veranópolis jogou com o time reserva e o Santo André com a equipe mista. E quais são os times titulares? O Santo André, principalmente, está numa fase tão ruim que ninguém sabe qual é o time titular. A partida de volta entre Santo André e Veranópolis acontece no dia 17, às 20h30, no Estádio Bruno José Daniel.

SAUDADE – A TV Bandeirantes, no programa ‘Gol, o grande Momento do Futebol’, exibiu neste domingo (7) os melhores momentos do jogo Santo André 1 x 3 Corinthians, disputado em 1982 no estádio Bruno Daniel. Deu saudade. O Corinthians, com um timaço que tinha entre outros Sócrates, Casagrande e Zenon. O Santo André, do artilheiro Carlos Alberto Seixas, do volante Arnaldo. Um belo jogo e o Bruno Daniel super lotado. Bons tempos.

COPA DO BRASIL – Apesar dos preços dos ingressos a torcida do São Bernardo promete lotar o Primeiro de Maio para o jogo de estréia na Copa do Brasil na quinta-feira (11), às 21h30, contra o Paraná Clube. Um campeonato importante para que o Tigre comece a fazer história no cenário nacional. Preço dos ingressos: arquibancada Geral – R$ 60 (R$30 meia entrada); Arquibancada Social – R$ 100 (R$50 meia entrada); Arquibancada Visitante – R$ 60 (R$30 meia entrada).

COPA DE 2016 – O futebol brasileiro tem coisas que ninguém entende. Para o amistoso contra a Bolívia, o técnico Felipão relacionou entre os convocados o goleiro Matheus da equipe de base do Corinthians. É preciso avisar o treinador que ele está montando uma base para a Copa de 2014 no Brasil. Matheus não jogou uma partida como titular do Corinthians. Será que Felipão já está pensando em 2018? Ou seria uma forma de valorizar o jogador. A pedido de empresários…?

VALENTE – Aliás, Matheus, em entrevista a um canal de TV, provou que é um grande guereiro. Já passou por 3 cirurgias no coração, e mesmo assim não desistiu da carreira. Ele encarou a convocação como um incentivo na sua carreira. ”Só o fato de estar no grupo vai ser uma experiência excelente para mim”, disse o goleiro corintiano.

TIGRE EMPACA – O São Bernardo jogou bem, mas perdeu para o misto do Corinthians, no Pacaembu, por 2 a 0, neste domingo. Mas o torcedor do Tigre continua preocupado porque o time do ABC ainda está ameaçado de rebaixamento. O Tigre está há cinco jogos sem vencer. A última vitória foi no dia 16 de março (4 a 3) contra o Mirassol fora de casa. Depois, o time, inexplicavelmente, disputou cinco jogos, três derrotas e dois empates. Um decepção realmente.

SINAL VERMELHO – Apesar dos 17 pontos, três na frente do Ituano (14), o primeiro time fora da zona de rebaixamento, a situação do Tigre não é tão confortável. Principalmente porque seus dois últimos jogos são contra o Mogi Mirim (terceiro colocado) e o Oeste (décimo primeiro) no interior.Todo cuidado é pouco.

FOFÃO, EM ALTA – A decisão da Superliga feminina de vôlei entre Osasco e Rio de Janeiro, neste domingo, no Ibirapuera, foi um verdadeiro espetáculo. Osasco chegou a abrir 2 sets a 0. Mas o time carioca venceu os três últimos sets, fechou em 3 a 2 e ficou com o título. O destaque do Rio de Janeiro foi a jogadora Fofão, que muitos davam como acabada para o esporte. Com 43 anos, deu um verdadeiro show. Detalhe: a jogadora já atuou por São Bernardo na época que o secretário de esportes era José Fiorizzi. Um exemplo a carreira da Fofão.

GUERREIRA – O título foi um presente para Hélia Rogério de Souza Pinto, mais conhecida como Fofão. Nascida em São Paulo, Fofão é uma das jogadoras que mais ganhou títulos. Pela Seleção de 1991 a 2008, disputou 340 partidas e esteve presente em cinco edições consecutivas dos Jogos Olímpicos, iniciando em 1992. É a atleta mais vitoriosa do vôlei brasileiro, pois, além de ter sido campeã olímpica em 2008, foi medalhista de bronze em 1996 e 2000 sendo a única a conseguir tal feito. Ganhou dezenas de títulos por clubes. Parabéns Guerreira.

INÉDITO – O ginasta Sérgio Sasaki representou muito bem o Brasil neste final de semana. O atleta da Seleção Brasileira de Ginástica Artística Masculina fechou sua participação na etapa de Tóquio da Copa do Mundo na quinta colocação. Com pontuação muito próxima aos demais participantes, Sasaki foi o quinto colocado na competição do Individual Geral, com 87,750 pontos na soma de todos os aparelhos: solo, cavalo com alças, argolas, salto, paralelas e barra fixa. O campeão foi o ucraniano Oleg Verniaiev, com 90,835. O segundo lugar ficou com o japonês Ryohei Kato, com 90,175, o terceiro com o britânico Daniel Purvis, com 89,250, e o quarto colocado foi o espanhol Fabian Gonzalez, com 88.700.

EVOLUÇÃO – Neste domingo (7), os ginastas competiram em três aparelhos e Sasaki somou 14,975 no salto, 14,525 nas paralelas e 14,425 na barra fixa. No primeiro dia da etapa, ele fez mais três rotações. No solo, Sasaki obteve a nota de 15,150, no cavalo com alças 14,300, e nas argolas 14,375. O principal objetivo do brasileiro na etapa foi continuar testando novas séries para evoluir até o Campeonato Mundial. A competição contou com oito atletas convidados por terem sido os mais bem colocados nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. Na ocasião, Sasaki ficou na décima posição entre 98 participantes.

CONVOCAÇÃO 1 – Foram definidos neste domingo (7) os integrantes da Seleção Brasileira Masculina e Feminina de Ginástica de Trampolim , após seletiva realizada no Rio de Janeiro (RJ) desde a última sexta-feira, pela Confederação Brasileira de Ginástica. Foram selecionados cinco ginastas no masculino e três no feminino. Pelo masculino os nomes são Carlos Ramirez Pala (Prefeitura de Volta Redonda-RJ), Rafael Oliveira Andrade (Núcleo de GO Tatiana Figueiredo-RJ), Luiz Arruda Júnior (Prefeitura Municipal de Piraí-RJ), Alexandre Lucas da Silva (Minas Tenis Clube-MG) e Breno Lucas de Paula Souza (Esporte e Cidadania/Fundação Aleijadinho-MG). Pelo feminino foram Giovanna Bastos Matheus (Núcleo de GO Tatiana Figueiredo-RJ), Camilla Lopes Gomes (Núcleo de GO Tatiana Figueiredo-RJ) e Joana di Carlo Conde Perez (Núcleo de GO Tatiana Figueiredo-RJ).

CONVOCAÇÃO 2 – Os participantes passaram por avaliações na parte técnica (execução, dificuldade e altura dos elementos e séries apresentadas) e física (força, potência muscular e flexibilidade), além de serem analisados os resultados conquistados em campeonatos nacionais e internacionais. As Seleções irão se preparar para importantes competições deste ciclo, entre elas os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Os ginastas foram avaliados pelo supervisor de Seleções da CBG, Klayler Mourthé, a coordenadora da Seleção Brasileira de Trampolim, Tatiana Figueiredo, e o coordenador e adjunto do Comitê Técnico de Ginástica de Trampolim, Marcos Antônio de Oliveira.

AMISTOSO – Com uma virada surpreendente, a Seleção Masculina de Handebol venceu o segundo amistoso da série de jogos que está fazendo na Europa, como parte da preparação deste ciclo olímpico. Depois de perder o primeiro tempo por apenas um gol de diferença (13 a 14), a equipe garantiu uma boa vantagem sobre o time de Puerto Sagunto, em Valência, na Espanha, e fechou o placar em 32 a 25, neste sábado (6). O primeiro tempo foi um pouco mais complicado para os brasileiros, mas na segunda etapa, rapidamente, imprimiram um ritmo melhor e garantiram a diferença sobre os espanhóis. “No primeiro tempo entramos um pouco desconcentrados. Não conseguimos defender bem e não fomos bem nos contra-ataque. Já no segundo, melhoramos a defesa e contamos também com uma ótima atuação do goleiro Bombom, então, conseguimos abrir o resultado”, avaliou o técnico da Seleção, o espanhol Jordi Ribera.

AMISTOSO – Na próxima semana, os brasileiros ainda encaram mais dois adversários, o Montpellier, da França, na terça-feira (9), e o BM Barcelona, na quarta-feira (10), na Espanha. No dia 11, o grupo retorna ao Brasil. Os Correios são o patrocinador oficial do Handebol do Brasil, a ASICS é a marca oficial de material esportivo e a Penalty a fornecedora de bolas.


* Saulo Leite é jornalista profissional e profundo conhecedor do esporte na região. Sugestões, criticas ou elogios: sauloleitejornalista@gmail.com

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "“Agonia” do São Caetano começou há quase nove anos"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *