Artista e cientista do MIT, Joe Davis faz simpósio no RJ nesta terça

921 0

Raphael Tavares – Vencedor em 2012 do Prêmio Golden Nica, uma das mais importantes premiações de arte interativa e cultura digital no mundo, o americano Joe Davis, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e do Departamento de Genética de Harvard, apresenta simpósio no Rio de Janeiro nesta terça-feira, 6 de fevereiro. É que o renomado artista-cientista de 66 anos é o principal convidado da primeira edição da Bienal de Arte Digital, apresentada pelo Oi Futuro, e que acontece até 18 de março no Centro Cultural Oi Futuro, no Flamengo.

Pioneiro de trabalhos de arte e biologia molecular, como inserir informações da Wikipedia em forma de código genético no DNA de maçãs, Davis conversa com o público a partir das 9h30m. Para participar do simpósio, o público precisa se inscrever, gratuitamente, no endereço: www.bienalartedigital.com/inscricao-simposio. O tema da apresentação do artista-cientista será “linguagens híbridas”. Ele explica sua visão sobre os artistas híbridos – artistas que tocam a arte e a ciência. Davis evita o argumento de arte versus ciência, insistindo que ele fala ambas as línguas e não poderia separar as duas disciplinas em sua própria mente. Ainda defende que o hibridismo dos artistas representa uma versão moderna dos antigos magos. Conhecido por pesquisas e trabalhos em parceria com a NASA, Davis também foi o idealizador do envio do código genético da proteína RuBisCo (utilizada pelas plantas para fotossíntese) para o espaço, em 2009, a partir do radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico.

Para participar do simpósio, o público precisa se inscrever, também gratuitamente, no endereço: www.bienalartedigital.com/inscricao-simposio. Ao longo da primeira semana do evento, o programa educativo também realizará oficinas relacionadas com as artes tecnológicas. As inscrições das oficinas devem ser feitas através do site no endereço: www.bienalartedigital.com/inscricao-oficina . As inscrições via site não garantem a participação. É preciso aguardar o contato por e-mail da produção confirmando a participação.

A proposta da Bienal é se tornar uma agenda nacional de arte digital e mostrar a cada dois anos obras e exposições que reflitam temas sociais importantes, evidenciando que a arte possibilita à tecnologia exibir suas experiências sociais. Após sua estreia no Rio, a Bienal segue para Belo Horizonte, onde a programação ocorrerá entre os dias 26 de março e 29 de abril no Conjunto Moderno Da Pampulha – Museu de Arte da Pampulha (MAP), com patrocínio da Oi e apoio cultural do Oi Futuro.

Os trabalhos escolhidos foram selecionados entre as mais de 600 inscrições realizadas via edital. A seleção foi realizada por um conselho curador formado por acadêmicos, artistas, pesquisadores e produtores culturais como Marina Gazire, Alexandre Milagres, Ivan Ramos, Gabriel Cevallos, Pablo Gobira, Tadeus Mucelli, Karla Danitza e demais membros da comissão organizadora. Foram cerca de 20 encontros entre os envolvidos e cerca de 400 horas dedicadas às análises.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DE SIMPÓSIOS:
SIMPÓSIOS
Segunda-feira – 5 fevereiro
10h – Abertura: Roberto Guimarães, Alberto Saraiva (Oi Futuro) / Tadeus Mucelli (FAD/Bienal de Arte Digital)
10h30m – Palestra Magna: Diana Domingues (BRA)
14h -Ivan Henriques (BRA)

Terça-feira – 6 fevereiro
9h30m
Joe Davis – MIT (EUA)
Bernardo Carvalho – UFRJ (BRA)
14h30m
Guto Nobrega – UFRJ (BRA)
Daniel Cruz – U.Chile (CHL)
Soliman Lopez – ESAT (ESP)

As configurações atuais da Arte Tecnológica têm se fundido com a vida contemporânea, num processo viral de trocas incessantes entre o mundo real e o simulado. Criam-se trabalhos híbridos, nos quais o digital e o analógico, o natural e o artificial, o real e o virtual, se atravessam. A tecnologia passou a ser vista como um fator constitutivo da vida humana  e com a biotecnologia, a própria vida. As pesquisas científicas são reapropriadas e se transformam em linguagens artísticas, através do uso da interatividade, virtualidade, sistemas híbridos e imersão. Nesta edição especial do FAD o objetivo será exibir trabalhos e conceitos através dos quais as transformações, ao longo do tempo, dos processos digitais na vida, na criatividade e na sociedade através da arte e da comunicação, criam experiências por meio das hibridações imersivas aos visitantes.

O Festival de Arte Digital (FAD) é um projeto sobre a exploração inventiva de novas tecnologias no campo da arte e da comunicação. Um dos eixos do projeto é a exibição de instalações de performances e apresentações diversas privilegiando a arte digital (produzida por máquinas, softwares e programação). A formação de jovens criadores é outro objetivo do FAD, com o trabalho de mediação, oficinas do programa educativo nas exposições, além de palestras ministradas por artistas, profissionais de mercado acadêmicos e demais envolvidos nos campos de ciência e tecnologia, com nomes regionais, nacionais e internacionais.

Desde 2007, o Festival de Arte Digital espalhou os temas da Arte através de Novas Tecnologias em quatro pilares de ação em Belo Horizonte e Rio de Janeiro/ Brasil. Oficinas, palestras, apresentações e exposições de arte. Neste período foram cerca de 20 mil pessoas, e intercâmbio com muitos profissionais pelo mundo, publicações, pesquisas e prêmios nacionais.

Serviço – Bienal de Arte Digital – – 5 de fevereiro a 18 de março, no Centro Cultural Oi Futuro – Rua 2 de Dezembro, 63 – Flamengo. Informações (21) 3131-3060. Horário de Funcionamento, de terça a domingo, das 11h às 20h. Entrada franca. Gratuidade em todas as atividades. Algumas atividades são gratuitas mediante inscrição prévia.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "Artista e cientista do MIT, Joe Davis faz simpósio no RJ nesta terça"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *