21ª revisão do Plano SP tem melhora nos índices de saúde e maior abertura da economia

38 0

Desenvolvimento Regional anuncia evolução para fase amarela nas regiões de Araçatuba, Baixada Santista, Campinas, Grande São Paulo, Presidente Prudente e Registro 

Da Redação – Na 172ª coletiva de imprensa sobre a Covid-19, direto do Palácio dos Bandeirantes, nesta sexta-feira (5), o Governo do Estado anunciou a 21ª reclassificação do Plano SP. A melhoria no número de casos e internações, concomitantemente ao aumento no número de leitos disponíveis em todo o estado, possibilitaram evolução de dez regiões para fases de maior flexibilidade segundo o Plano SP.  

Hoje, 66% da população paulista situam-se em regiões na etapa amarela do Plano SP.  27% da população vivem em regiões na fase laranja. 8% da população habitam as regiões de Araraquara, Bauru e Franca, as três na fase de maiores restrições, a vermelha.  

Região Metropolitana de São Paulo, Registro, Baixada Santista, Presidente Prudente, Araçatuba e Campinas avançam para a fase amarela, de maior abertura da economia. A região de Barretos também teve melhora em seus indicadores e avança para a fase laranja, bem como Marília e Ribeirão Preto. A região de Araraquara, contudo, registrou piora em seus índices e regride para a fase vermelha, onde já estavam Bauru e Franca.  

Segundo o Secretário Marco Vinholi, “esta é uma data muito importante de evolução nos indicadores e de esforço conjunto entre Estado, municípios e sociedade. Momento importante de atualização, com evolução positiva em boa parte do estado. Em 21 de janeiro, a taxa de ocupação de leitos no estado marcava 71%. Hoje alcançamos 67%, graças aos esforços das prefeituras e da Secretaria de Saúde.” 

Vinholi alertou que três regiões seguem com elevada ocupação de leitos. São elas Araraquara, Bauru e Franca. “Estas regiões merecem uma atenção especial, por isso estamos trabalhando de forma intensa nelas, para proporcionar mais leitos para pacientes de Covid.” 

Na fase amarela, o horário de funcionamento do comércio se estende até às 22 horas, com até doze horas de funcionamento diário. Após este horário, seguem abertos somente serviços essenciais, como farmácias, postos de combustível e supermercados. O consumo de bebida segue limitado apenas para clientes sentados. 

Na quinta semana epidemiológica de 2021, os índices de saúde permitiram a atual flexibilização segura em várias regiões. Em outras, a alta circulação do vírus resultou em impacto nos números de ocupação de leitos, levando a maior restrição das atividades.  

No estado, os números registram redução de 11% em novos casos de Covid, ante a semana anterior. Igualmente, queda de 15% na taxa de ocupação de leitos de uti, sinal de maior controle da pandemia. A taxa de ocupação de leitos no estado está hoje em 67,4%. 

SP registra até aqui 1,82 milhão de casos de Covid-19, com 53,9 mil óbitos. Mais de 1,5 milhão de pessoas se recuperaram da doença no estado. O número de pacientes internados é de 12.817.  

O Centro de Contingência do coronavírus em SP recebeu com alívio a mudança na trajetória dos indicadores como eles se apresentam hoje. As restrições foram intensificadas nas últimas semanas, devido ao crescimento no número de casos e internações. A reclassificação do Plano SP se faz de acordo com os critérios estabelecidos pelo Centro, permitindo que regiões que apresentaram melhorias possam avançar de fase. 

Contudo, o vírus ainda circula de forma intensa, especialmente nas regiões em fase laranja, e o Governo do Estado age com responsabilidade e precaução.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Nenhum comentário on "21ª revisão do Plano SP tem melhora nos índices de saúde e maior abertura da economia"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *